Desde 2014, mais de 33000 artigos.
,/2019

Chuva causa estragos na vicinal Pompeia-Queiroz

Regional
15 de março de 2019

Prefeitura de Pompeia decretou estado de calamidade pública na zona rural e interditou o km 7 da estrada (Foto: Divulgação)

Após uma madrugada de forte chuva que registrou em três horas o índice pluviométrico previsto para 15 dias, uma estrada vicinal que liga Pompeia a Queiroz sofreu grande erosão, surpreendendo motoristas que utilizam a via diariamente para escoamento de produção agrícola. Acionado no início da manhã, o governo municipal já decretou estado de calamidade pública na zona rural, o que permite mais agilidade para tomar as medidas de urgência necessárias para a recuperação do local. Além disso, a prefeita Tina Januário já agendou para segunda-feira audiências na Casa Civil e com o vice-governador Rodrigo Garcia para solicitar os recursos necessários e o apoio do Governo do Estado para realizar a obra na Vicinal Tufic Baracat.

Originalmente projetada para suportar veículos com cargas de no máximo 25 toneladas, a vicinal “Tufic Baracat”, que liga Pompeia à Queiroz, por exemplo, sofre com o peso excessivo dos caminhões de transporte de insumos da Usina Clealco. Nos últimos anos houve um grande aumento no número de veículos pesados que utilizam as vias da zona rural de Pompeia cujas bases não suportam as cargas que chegam muitas vezes a 80 toneladas, provocando as depressões no solo.

O Secretário de Obras da Prefeitura, Paulo Priedols explicou as medidas que estão sendo tomadas. “De início vamos jogar terra pra liberar a passagem e poder deixar o trânsito livre. Futuramente precisamos fazer uma cabeceira para segurar a contenção dessa terra. Vamos realizar alguns estudos para avaliar o projeto e os custos também. É uma surpresa ter acontecido isso, mas devido à chuva, há vários pontos em toda a região em que isso vem acontecendo. Aqui neste local não havia nenhum problema estrutural evidente que pudesse ter sido antecipado” explicou Paulo Priedols.

O trabalhador rural, Henrique Gonzales Coluci, de Quintana, foi um dos primeiros a ser surpreendido pelo estrago causado pela chuva.

“Eu utilizo essa vicinal duas vezes por dia. Faço transporte de funcionários e sou trabalhador rural, ali em Novos Cravinhos, no ramo de Amendoim. Ontem à noite, as 19h, passamos por aqui e não estava essa erosão toda ainda, mas já havia um buraco. A chuva estava forte, quase não dava pra ver a pista direito. A gente estava a 40km/h. Hoje cedo nós tivemos essa surpresa. Não esperávamos. Há menos de um mês a Prefeitura tapou os buracos de toda a Vicinal, principalmente ali perto do lacticinio, teve uma grande melhora ali. Anteontem, eles estavam limpando as beiradas da estrada. Os funcionários da Prefeitura, estavam fazendo manutenção aqui sim. Então só pode ter sido por conta do volume de água mesmo. Passei por Quintana, e lá está semelhante ao volume da água aqui, muita água em poucos minutos, e por isso teve essa erosão”, comentou Henrique.

Outro que ficou preocupado com a situação e foi verificar o ocorrido in loco foi o produtor Celso Vitorio Corradi. Ele conta que soube da erosão por um grupo de whatsapp de caminhoneiros.

“Uso essa vicinal porque tenho um caminhão de transporte leite que busco em Queiroz a cada três dias. Vi pela internet o que havia acontecido, e vim aqui preocupado para ver se amanhã vou conseguir passar aqui ou não. Porque o contorno para caminhão é complicado. Pra carro, vai bem, mas pra caminhão complica. Se chover, o caminhão não vai, ele só anda bem no asfalto. Aqui, é uma via importante demais para caminhão. Foi feito um tapa buraco aqui nessa estrada e foi muito bom, porque foi até um pouco antes de Queiroz. Mas a chuva foi demais aqui. Aqui foi igual Quintana, muita água que veio de uma vez só, e a estrada não aguenta mesmo. Esse problema aqui, eu soube por um grupo de caminhoneiro que temos, e nós estamos na safra do amendoim, e está complicando toda a vida do pessoal. A Prefeita tem se esforçado bastante, e tem que procurar recursos onde tem mesmo, no governo do Estado”, concluiu.