Desde 2014, mais de 41000 artigos.
,/2019

Prefeito assina parceria com a PM para compartilhamento de informações

Cidade
19 de novembro de 2019

Base de dados do Sistema Órion, desenvolvido em Marília pelo 9º Batalhão da Polícia Militar do Interior, terá acesso disponibilizado a técnicos da Assistência Social e da Saúde. (Foto: Mauro Abreu)

Prefeito Daniel Alonso e o comandante do 91º Batalhão da Polícia Militar do Interior, tenente coronel Mário Sérgio Nonato, assinaram na manhã desta segunda-feira, dia 18, protocolo de intenções que permitirá o compartilhamento de informações entre a corporação e o município. A meta oferecer mais qualidade e agilidade nos serviços públicos.

Poucas cidades do Estado possuem esse tipo de parceria. Conforme explica o chefe do Executivo, o convênio permitirá que o Sistema Órion, desenvolvido pela corporação, seja acessado por técnicos habilitados das secretarias de Assistência Social e também da Saúde.

“Muitas situações que a Polícia Militar se depara envolvem algum serviço de assistência social e também de saúde do município. Com essa cooperação, nossos servidores envolvidos nesses serviços terão mais informações e poderão agir mais adequadamente e rapidamente”, disse o prefeito Daniel.

(Foto: Mauro Abreu)

A parceria prevê, na forma da lei, compromissos de confidencialidade e de uso restrito dos dados (contidos em boletins de ocorrência) para a realização dos atendimentos. A expectativa é que o acesso à plataforma possa, inclusive, desafogar e otimizar o trabalho policial.

“Tem algumas ocorrências que a viatura chega para atender e os policiais verificam que, na realidade, não se trata de uma situação de ilícito, de um crime, mas de uma necessidade social, de uma questão de saúde”, explica o comandante.

Conforme o Tenente-coronel, a ideia é que não seja mais necessário a Polícia Militar despender esforços e tempo em casos corriqueiros, podendo se concentrar nas ocorrências realmente graves, que necessitam da ação policial.

(Foto: Mauro Abreu)

Já os serviços municipais, ao serem acionados em alguma situação que não envolva crime, terão informações sobre o perfil do cidadão. A medida não exclui a possibilidade de atuação conjunta, quando a presença policial dá segurança para que os técnicos possam fazer seu trabalho, com intervenção social e assistência à saúde.

A parceria tem duração inicial de dois anos. Entre os serviços mais impactados estão a Abordagem Social, o Consultório na Rua e o Conselho Tutelar.