Desde 2014, mais de 62000 artigos.
,/2021

Enfermeira sem comorbidades morre de Covid após sete dias

Cidade
22 de setembro de 2021

Fabiana Rizzi tinha 47 anos e trabalhava no Hospital Materno Infantil (Foto: Redes Sociais)

A pandemia de Covid-19, em menor proporção, continua a ceifar vidas, inclusive de pessoas fora do grupo de risco e sem comorbidades. Familiares e amigos se despediram da enfermeira Fabiana Aroni Rizzi, de 47 anos. Ela foi sepultada nesta segunda-feira (20).

A profissional da saúde, formada pela Universidade de Marília (Unimar), trabalhava no Hospital Materno Infantil (HMI).

Ela foi vítima do coronavírus em um quadro de evolução acelerada, com menos de uma semana desde os primeiros sintomas.

Irreverente nas redes sociais, Fabiana amava cozinhar, principalmente fazer doces. Cuidar do próximo, contam familiares, era vocação de Fabiana.

Ela exerceu esse papel tanto como profissional quanto como filha, já que assistia a mãe, que enfrenta um agressivo câncer de pâncreas.

Na casa onde vivia com os pais idosos, todos contraíram o coronavírus. A mãe foi assintomática. Somente a enfermeira, cuidadora dos demais, teve sintomas mais severos.

No domingo (19), ela buscou cuidados médicos no Pronto Atendimento (PA) da zona Sul, mas o estado de saúde já era grave. Morreu no mesmo dia, antes mesmo da efetiva internação.

Nas redes sociais, amigos lamentaram a partida da enfermeira. “Ainda sem acreditar… tô (sic) sem chão, até queria fazer um textão, mas não consigo. Descanse em paz (sic) amiga”, escreveu Samira Valera, também profissional da saúde.

O irmão de Fabiana, Juliano Rizzi, usou as redes sociais para uma homenagem.

Meu coração, minha alma, meu amor vai para minha melhor amiga e irmã, Fabiana. Nada me preparou para este acontecimento tão inesperado de minha mãe me ligar para informar que minha irmã havia falecido.

Sem palavras! Ela era linda por dentro e por fora; no seu ramo de trabalho, carregava quem não podia andar, dava banho, trocava de roupa e alimentava os necessitados.
Ela era minha heroína, nossa heroína.

A luta não acabou. Devemos continuar nos protegendo da Covid-19.

Por todos os que sobreviveram e por todos os nossos queridos(as), cujas vidas foram tiradas por essas doenças devastadoras, nosso coração e alma vão para eles.

Que minha heroína e irmã maravilhosa descanse em paz.

Quer receber notícias no seu WhatsApp? Clique aqui e entre para o nosso grupo.