Desde 2014, mais de 50000 artigos.
,/2020

Thiago Braz fica fora do Mundial por lesão

Esportes
28 de julho de 2017

Campeão olímpico no salto com vara, Thiago Braz fica fora do Mundial por lesão (Foto: Edio Junior/Arquivo)

Uma lesão na panturrilha e dores nas costas vão tirar o brasileiro Thiago Braz do Mundial de Atletismo de Londres. Campeão olímpico no salto com vara no Rio-2016, Braz era a maior aposta de medalhas da equipe brasileira na competição que será disputada entre 4 a 13 de agosto, na capital inglesa.

Braz sofreu a lesão na panturrilha durante a disputa do Troféu Brasil de Atletismo, em junho, em São Bernardo do Campo (SP). Depois passou a sentir dores nas costas numa das etapas da Diamond League. Por precaução, ele e seu treinador, o ucraniano Vitaly Petrov, decidiram pela ausência em Londres.

“Estou muito chateado por não participar do Mundial. Tentei de todas as formas me recuperar a tempo, mas infelizmente terei que adiar um dos meus grandes sonhos”, afirmou o brasileiro. “Vamos focar em sua recuperação para que ele possa estar na melhor forma e disputar o Mundial Indoor de 2018”, disse Petrov.

Braz seria o grande destaque brasileiro no Mundial após faturar a medalha de ouro no salto com vara na Olimpíada do ano passado. Na ocasião, superou o francês Renaud Lavillenie, recordista mundial da prova (6,16 metros), e até cravou o novo recorde olímpico da modalidade (6,03m).

A importante baixa fez a Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) lamentar. “Infelizmente a lesão não regrediu e o saltador e seu treinador decidiram pedir dispensa da convocação. Claro que ele fará falta ao Brasil, mas o mais importante, agora, é que ele busque sua plena recuperação”, declarou o diz José Antonio Martins Fernandes, o Toninho, presidente da entidade.

Não foi a única baixa do dia. No time feminino, Núbia Aparecida Soares, do salto triplo, pediu dispensa, também por lesão. Ela machucou o pé (inflamação do calcâneo, um dos ossos do pé) na etapa do Marrocos da Diamond League. “É uma pena, a Núbia era uma esperança de boa colocação em Londres já que é uma das cinco melhores da prova no mundo na temporada”, lamentou o presidente da CBAt.

O dia foi também de boas notícias para a confederação. Paulo Sergio Oliveira, do salto em distância, foi chamado para o Mundial. Ele costuma competir também no salto triplo. Mas, em Londres, deve disputar somente a primeira modalidade. Com o acréscimo de Oliveira, a delegação brasileira chega a 37 atletas, sendo 21 no masculino e 16 no feminino.