Desde 2014, mais de 41000 artigos.
,/2019

Projeto de Pacificação Escolar realiza ação na Fazendinha da Unimar

Cidade
03 de dezembro de 2019

Projeto de Pacificação Escolar realiza ação na Fazendinha da Unimar. (Foto: Divulgação)

O projeto “Implantando a Cultura da Pacificação: Uma abordagem Interdisciplinar”, desenvolvido pela Universidade de Marília (Unimar) em parceria com o Centro Judiciário de Soluções de Conflitos e Cidadania (Cejusc) concluiu as atividades do semestre com os alunos do quinto ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Paulo Reglus Neves Freire, localizado na zona sul da cidade.

O encerramento aconteceu na Fazendinha da Unimar e contou com a apresentação realizada pelos alunos, crianças com idade entre 9 e 11 anos, e a entrega do certificado. Além, de um passeio pela Fazenda Experimental e Leiteria da Universidade.

De acordo com a chefe do Cejusc Marília, Juliana Raquel Nunes, o projeto visa ensinar as crianças a buscar formas diferentes de resolver problemas. “A gente ensina as crianças a lidar com os sentimentos, pensamentos e com os seus amigos, buscando sempre a convivência harmoniosa, inspirada na cultura da paz, com intuito de que os benefícios dessas atitudes reflitam nas suas próprias vidas, de seus familiares e da comunidade” explica.

O projeto foi criado em 2017 visando ensinar as crianças e adolescentes a resolverem os problemas de forma não violenta e a respeitar o outro. A criação se deu após o conhecimento dos dados de violência dentro das escolas de ensino fundamental em Marília. Ainda de acordo com a Juliana, o resultado é sempre de transformação. “Em todo o final de ciclo os professores e coordenadores das escolas nos transmitem os resultados positivos do projeto, as quais chegam através das atividades lúdicas realizadas por coordenadores, docentes e acadêmicos dos cursos de graduação da Unimar, que promovem ações que possibilitam um futuro melhor”, ressalta a chefe do Cejusc Marília.

Um dos cursos que participou das atividades foi o de Educação Física da Unimar. A proposta foi envolver as crianças em jogos em que havia a necessidade do trabalho em equipe. Para a responsável pelas atividades, a docente Milena Cristina de Sugoy, foi gratificante o trabalho com as crianças. “É extremamente satisfatório saber que nosso trabalho gera uma sementinha, que vai frutificar e que podem ser usados para modificar a perspectiva de vida deles. A gente fica muito feliz, mas ao mesmo tempo o coração fica muito apertado, porque de certa forma não teremos mais tanto contato”, conta.

Os acadêmicos do curso de Nutrição, junto aos docentes, realizaram oficinas com a preparação de alimentos saudáveis. De acordo com a docente Camila Maria de Arruda, responsável pelas atividades, foi um processo único poder contribuir com a formação destas crianças. “Este processo é muito importante porque nós pudemos apoiar no crescimento deles como pessoas na sociedade e melhor os hábitos alimentares. Ao longo do semestre nós contribuímos através de ações educacionais, preparações saudáveis envolvendo frutas e vegetais, buscando que eles tenham nova visão sobre os alimentos e, assim, garantir qualidade de vida”, ressalta.

O curso de Pedagogia levou aos alunos dinâmicas com técnicas para a resolução de problemas. O coordenador Marcos Merchan, contou que a pedagogia fez atividades pensando em relacionamento e convivência. “Nós tratamos o tema da convivência pacífica e entramos nas questões de bullying, porque as escolas vivenciam uma realidade de muita violência, onde se rejeita o contrário. Atuamos na cultura de bom relacionamento e propusemos exercícios de relaxamento, que serão realizadas pelos professores, para ganhar compreensão corporal e assim se acalmar e tranquilizar diante das coisas e dos próprios pensamentos”, conta.

Segundo a Pró-reitora de Pesquisa, Pós-graduação e Ação Comunitária da Unimar, Fernanda Mesquita Serva, o projeto transforma a vida das crianças, mas também a dos envolvidos. “Este é um projeto em parceria da graduação com a pós-graduação, que faz um movimento dentro das escolas de Marília, o movimento da pacificação. A cada encontro a gente acredita que vai ensinar algo, mas o que temos percebido é que quem mais aprende somos nós, coordenadores, docentes e acadêmicos da Unimar, com esta troca de experiências”, afirma.

Ainda segundo Fernanda, é um momento de agradecer e já idealizar as nova atividades para o próximo ano. “Hoje encerramos mais uma turma já pensando em outra, porque nova escola receberá o projeto. Quero agradecer a Secretaria Municipal da Educação que nos apoia, aos professores, coordenadores e diretores que pedem pelas atividades em suas escolas. Nós tentamos levar, e a gente tem conseguido, a cada ano fazer a diferença na vida destas crianças que são acolhidas através da pacificação”, finaliza.

(Foto: Divulgação)