Desde 2014, mais de 71000 artigos.
,/2022

Nechar assume a Saúde de Marília com vários desafios pela frente

Cidade
15 de junho de 2022

Novo secretário da Saúde, Nechar esteve reunido com o prefeito Daniel Alonso na Prefeitura de Marília (Foto: Divulgação)

Anunciado como novo secretário municipal da Saúde, o médico Sérgio Nechar terá importantes desafios pela frente em Marília. Em entrevista exclusiva ao Marília Notícia, o ex-deputado federal enalteceu o trabalho realizado pelo antecessor no enfrentamento da pandemia, destacou que vai atuar para não faltar remédio para quem precisa e para garantir um atendimento digno para a população mariliense.

O novo secretário é formado em medicina pela Faculdade de Medicina de Marília, com especialização em cirurgia oncológica. Nechar também possui graduação em Administração de Empresas pela Universidade de Marília e pós-graduação em Gestão Empresarial Avançada, além de diversas especializações em áreas da saúde. Ex-vereador e ex-deputado federal, chega com grande responsabilidade, por assumir um cargo na sua área de atuação.

“A responsabilidade aumentou bastante. Eu sou amigo do Cassio [ex-secretário da pasta] e acho que ele foi até um herói, pois pegou a secretaria em um momento tão inapropriado, tão difícil, com essa Covid comendo solta por aí. Temos que louvá-lo por isso. Muitos não esperavam que ele fosse sair tão bem como saiu”, afirma Nechar.

O médico promete empenho no comando da pasta e diz que seu objetivo é não ver ninguém falando mal da Saúde de Marília. O especialista afirma que, em um primeiro momento, vai trabalhar para não faltar remédio para a população, nem internação para os pacientes da cidade.

“Falo para você que vou dar o sangue. Não quero ver ninguém falando mal da saúde mais. Não quero ver ninguém falando que não tem remédio, que não entregou remédio, que tá faltando remédio para um cara que tá morrendo, que não tem internação. Essa aí vai ser a primeira medida. Vamos trabalhar em cima disso e ficar também atento às doenças de época, como as que ocorrem no início do inverno ou quando chove e os mosquitos aparecem, para não ter surpresas”, explica o novo secretário.

Nechar destaca que o maior desejo do mariliense na área da saúde é receber um bom atendimento nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e Unidades de Saúde da Família (USFs), além da UPA e Pronto Atendimento. O médico afirma que a população mais carente precisa ser tratada com respeito, já que paga impostos e precisa ter o retorno do Poder Público.

Novo secretário da Saúde ao lado do prefeito Daniel Alonso (Foto: Divulgação)

AUMENTO NA DEMANDA POR PEDIATRIA

A chegada do tempo mais frio e seco do ano, coincidindo com o retorno das crianças em 2022 para as escolas, fez com que muitas delas passassem a necessitar de atendimento médico, o que tem ocasionado a sobrecarga das unidades de saúde em todo o município. Dados dos últimos três meses da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da zona Norte revelaram grande procura pelo setor de pediatria.

O mês de março deste ano, na comparação com o mesmo período do ano passado, registrou aumento de 186%. Foram 757 atendimentos em 2021 e 2.167 neste ano. Em abril, o aumento foi de 379% (539 em 2021 e 2.584 em 2022). No mês passado, foram 2.777 atendimentos médicos de pediatria, contra 531 no mesmo período de 2021, totalizando aumento de 422%.

No período mais intenso da pandemia, a UPA registrou queda de atendimento pediátrico, porém, com a volta dessas crianças ao convívio social, tais como o retorno às escolas, houve um impacto principalmente nos quadros respiratórios.

O Hospital da Unimar abriu uma ala específica de pediatria para atender essa demanda crescente de pacientes. A UPA também precisou se readequar, com abertura de uma nova ala de observação e consultório médicos destinados ao atendimento de pediatria, além dos que já existiam na unidade.

Sobre o aumento na demanda pela área de pediatria em Marília, o novo secretário municipal da Saúde afirma estar sensibilizado com a situação. Nechar destaca que se trata de um especialista que está em falta, pois é mal remunerado e tem o desafio diário de tratar de crianças, que na maioria das vezes ainda não sabe falar, nem explicar direito o que está sentindo.

“É um problema muito sério. Não temos mais aquela quantidade de pediatras que tínhamos antigamente. É um médico muito qualificado, que ganha muito pouco pelo que faz. O cara tem que ser um expert para dar um diagnóstico. Não é fácil, sabemos que a demanda aumentou, mas é algo já esperado, que precisamos ter muita atenção e cuidar”, afirma o médico.

CHAMAMENTOS PÚBLICOS

Sérgio Nechar deve conduzir os chamamentos públicos para a Estratégia de Saúde da Família (ESF), administrada de forma terceirizada pela Associação Maternidade e Gota de Leite. Os serviços da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da zona Norte, administrada pelo Hospital Beneficente Unimar (HBU); Pronto Atendimento da zona Sul e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), também tramitarão sob os trabalhos do novo secretário da Saúde.

O médico destaca que ainda não parou para pensar na condução desses processos. O especialista diz que, num primeiro momento, precisava traçar questões urgentes, mas que irá sentar nos próximos dias para avaliar as demais situações e definir quais serão as medidas tomadas.

“Não tive tempo para pensar nisso ainda. Tinha na cabeça, que primeiro precisava resolver coisas que são correntes, do ano, doenças de época, prevenções necessárias, vacinas, a maneira preventiva para que população não entre em choque com essas doenças. Já essas outras questões, vamos ter que sentar para pensar em como resolver. Temos alguns problemas, que sabemos que estão acontecendo, mas como ainda não era o secretário, não tinha pensado ainda nas soluções. Agora vamos chegar num bom senso”, garante Nechar.

PANDEMIA

O novo secretário da Saúde de Marília ressalta a necessidade das pessoas continuarem tomando os cuidados necessários para evitar a disseminação da Covid-19 em Marília. Nechar tem conhecimento dos números, que seguem aumentando na cidade, mas fez questão de ressaltar a importância da vacina na contenção do vírus.

“Precisamos manter os cuidados, seguir usando máscaras. O brasileiro é muito afetivo, gosta de abraçar e beijar, mas precisamos nos precaver. O vírus segue aí e logo deve se tornar uma doença comum. As variantes já não estão sendo tão agressivas, apesar de mais infecciosas, mas a vacina tem papel fundamental nessa questão, pois conseguiu reduzir as mortes e melhorar a situação”, finaliza o novo secretário mariliense.