Desde 2014, mais de 71000 artigos.
,/2022

Região deve zerar fila por cirurgia em quatro meses com mutirão

Cidade
26 de maio de 2022

O Mutirão das Cirurgias, anunciado pelo governador Rodrigo Garcia (PSDB) nesta quarta-feira (25), promete zerar a fila das cirurgias atrasadas em todo o Estado. Na região de Marília, 43.981 cirurgias aguardam liberação.

Para acabar com a demanda reprimida, haverá cirurgias extras na rede estadual, remuneração dobrada nos hospitais do SUS e a contratação de serviços privados. As unidades também receberão um valor adicional para consultas e exames pré-cirúrgicos.

A ação tem duração prevista de quatro meses, de junho a setembro, e contempla 54 tipos de cirurgias ofertadas no Sistema Único de Saúde (SUS) em sete especialidades como do aparelho circulatório, visão, digestiva e abdominais, osteomolecular e geniturinário, das glândulas endócrinas e em nefrologia. O investimento é de R$ 350 milhões.

Se não fosse pelo Mutirão, o Estado levaria cerca de dois anos para atender toda a demanda reprimida. A partir de 1º de junho, a Secretaria de Estado da Saúde também vai promover procedimentos extras em 56 hospitais da rede própria e em 37 Ambulatórios Médicos de Especialidades (AMEs).

No total, serão 47,7 mil cirurgias como procedimentos contra catarata, colecistectomia, hernioplastia, adenoidectomia, vasectomia etc.

HOSPITAIS DE MARÍLIA

A Santa Casa de Marília deve participar do Mutirão com a realização dos exames. No caso das cirurgias, o hospital encaminha para o Instituto de Olhos de Marília (IOM).

O Hospital das Clínicas informou que aguarda a publicação da portaria com os direcionamentos do Governo do Estado para poder especificar os procedimentos que poderá realizar.

O Hospital Beneficente Unimar (HBU) afirmou que sempre participou de todos os mutirões viabilizados pelos governos federal e estadual. A direção ainda não foi procurada, mas assim que houver contato com a indicação da necessidade local e regional, vai ajudar no que for possível.

MUTIRÕES DO MUNICÍPIO

O secretário municipal da saúde, Cassio Luiz Pinto Júnior, informou que o município já vinha tentando atuar na questão das filas imensas que se acumularam em razão da pandemia.

“Esse Mutirão anunciado agora é muito bem-vindo, porque o município vem fazendo aquilo que é dever do Estado. Em parceria com a Santa Casa, estamos promovendo o Mutirão da Catarata, com 516 cirurgias. Em parceria com o HBU, outras 632 cirurgias para a saúde da mulher (procedimentos uroginecológicos), da criança (fimose e hérnia umbilical), e do homem (vasectomia)”, detalhou o gestor da pasta.

Cassio afirmou ainda que há uma grande demanda na área de ortopedia na cidade, com procedimentos de média e alta complexidade, e que tem um custo mais elevado. A expectativa é de que esses procedimentos agora sejam realizados no mutirão do Estado.