Desde 2014, mais de 49000 artigos.
,/2020

Ouvir música instrumental no trânsito atenua o estresse no coração

Cidade
07 de dezembro de 2019

Gabriel tem o costume de ouvir música ao dirigir, as preferidas são as clássicas (Foto: Arquivo Pessoal)

Dirigir causa estresse em muita gente. A música acompanha a maioria dos condutores. É o caso do servidor público Gabriel Carvalho, de 29 anos, que conta que pegou gosto em ouvir música na época em que estudava e passou a aderir o comportamento também ao dirigir

“Além de prazeroso, eu sempre senti que a música clássica eleva meu potencial de concentração, ao mesmo tempo que me deixa tranquilo, eu consigo ficar mais atento. Principalmente quando ouço Vivaldi e Bach. Escuto outros estilos também. Costumo variar, principalmente com rock e quando estou com outra pessoa”, disse em entrevista ao Marília Notícia.

Um estudo feito pela Unesp de Marília constatou que a música durante o trânsito atenua o estresse no coração.

De acordo com o professor e coordenador da pesquisa, Vitor Engrácia Valenti, o estudo foi realizado entre os anos de 2016 e 2018. Foram analisadas mulheres saudáveis e condutoras não habituais (dirigir entre quatro a oito vezes por mês com um a sete anos de experiência) de 18 a 23 anos.

“O estresse no coração foi analisado pela variabilidade da frequência cardíaca (VFC), um método reconhecido e validado cientificamente que examina a oscilação do intervalo entre os batimentos cardíacos e recebe influência dos sistemas nervosos autônomo parassimpático e simpático”, explicou Valenti.

As voluntárias foram avaliadas em dois dias diferentes. Em um dia elas dirigiram durante 20 minutos em uma região bem movimentada de Marília entre 17h30 e 18h30 sem ouvir música.

No outro dia o mesmo percurso foi realizado durante 20 minutos no mesmo período do dia, porém, as participantes ouviram músicas instrumentais.

Todas as participantes dirigiram o mesmo carro e as músicas foram aplicadas por meio de um aparelho de som acoplado ao carro, já que usar fone de ouvido é uma infração de trânsito.

“As variáveis fisiológicas foram avaliadas antes do trânsito e durante o período de trânsito. Como já era esperado, houve alteração fisiológica estatisticamente significante compatível com o estresse quando as participantes não ouviram música durante o trânsito. Esse achado foi identificado pela redução da VFC. Por outro lado, quando as mesmas voluntárias ouviram música no trânsito, não ocorreu alteração estatisticamente significante da VFC. Desta maneira, como principal conclusão, a pesquisa mostra que a música durante o trânsito atenuou o estresse no coração. Esses achados são muito importantes para estimular medidas preventivas cardiovasculares em situações de intenso estresse como no trânsito” finalizou o coordenador da pesquisa.

O professor explicou ainda que apesar dos resultados serem aplicados apenas em mulheres (já que elas que participaram do estudo), tendo em vista que os hormônios sexuais masculinos têm relação com o estresse e disputa de território, pode-se levantar uma hipótese bem plausível de quê os resultados também ocorreriam em homens.

A pesquisa foi publicada na Complementary Therapies in Medicine, grupo Elsevier, em parceria com a Oxford Brookes University (Inglaterra) e Università de Parma (Itália) financiada pela FAPESP.