Desde 2014, mais de 71000 artigos.
,/2022

Entrevista: Guga Villani, o mariliense que irá narrar a final da Copa

Cidade
12 de julho de 2014
10492034_296675807169233_7887494225518964542_n

Guga Villani na Arena Amazônia, durante a Copa

Pelo menos um mariliense vai estar no Estádio do Maracanã (13) no Rio de Janeiro neste domingo, para acompanhar a final histórica entre Argentina e Alemanha. E não será para torcer. O jornalista e locutor Guga Villani, de 33 anos,  do canal de TV a cabo Fox Sports, irá comandar a equipe de transmissão da partida para todo o Brasil.

Guga é nascido e criado em Marília, no bairro Maria Izabel, zona leste da cidade. Ele é filho de um dos fundadores da Ultra-Rad e membro da direção, o respeitado médico Augusto César Villani. Segundo Guga, a relação com futebol vem desde cedo e o Abreuzão foi a sua ‘segunda casa’ por diversas vezes.

“Cheguei a entrar em campo com o MAC na década de 80. Eu adorava! Fui várias vezes com meu pai e com meu avô”, conta Guga, que ainda revelou que o talento para a narração (e finais) apareceu aos nove anos de idade: “Eu jogava bola na chácara Gadocha’s . Em um campeonato meu time não foi para a final e eu quis narrar o último jogo. O pessoal iria gravar uma fita para cada menino guardar de lembrança. Eu acabei pedindo e eles gostaram da ideia: um menino narrando jogo de meninos. E foi aí que acho que descobri meu talento!”, conta rindo ao telefone.

1904265_288544567982357_6895785632724777807_nQuestionado sobre qual é a sensação de narrar uma final de Copa do Mundo, Villani demonstra toda a sua euforia: “Fantástica! Melhor impossível para falar a verdade. Eu narrei desde jogos considerados menores, até Copa do Brasil, Libertadores, jogos muito bem disputados, mas nada igual uma Copa do Mundo. São dois grandes times, é um evento mundial. Tô até me policiando um pouco, porque a felicidade é muito grande. Preciso voltar a estudar e me preparar para a transmissão”, diz o narrador que comandará a equipe da Fox Sports, formada por Vanderlei Luxemburgo, Mauro Beting, Carlos Eugênio Simon e o repórter Fernando Caetano (que também é de Marília).

A última vez que esteve em Marília foi em janeiro deste ano, mas Guga tem estreita relação com a cidade: “Eu fiquei só até os 16 anos, mas volto sempre que posso. Minha família toda é de Marília e tenho muitos amigos também. É um orgulho poder dizer que sou da cidade“.

Guga é mais um dos frutos da ‘terra da bolacha’, que muito bem poderia ter o apelido de ‘terra do gogó de ouro’. Osmar Santos, Eder Luiz, Oscar Ulisses, Ulisses Costa são algumas da vozes que tem forte relação com a cidade símbolo de amor e liberdade.

Entre os narradores que admira, estão José Silvério, Éder Luiz (que segundo ele foi o primeiro a acreditar no seu trabalho) e Oscar Ulisses da Rádio Globo. “Foi o Oscar que me ensinou a maioria das coisas. O gozado é que eu sou de Marília, tenho uma relação próxima com outros narradores famosos da cidade, mas nunca trabalhei aí”, revela o jornalista.

Apesar de considerar este o melhor momento da carreira, Guga ainda sonha com muitas outras coberturas. “Quem sabe eu não narro o ouro olímpico no futebol daqui a dois anos?“, fala em tom de vidência.

Formado pela Faculdade Cásper Líbero, em 2005, Guga Villani tem muita experiência no jornalismo esportivo e passou por quase todas as funções: estagiário, pauteiro, repórter, apresentador e agora locutor. “Já trabalhei duas vezes como repórter com o MAC em campo. Uma em Marília mesmo em um MAC x Palmeiras pela Série B e um Corinthians x MAC pelo Paulistão. Tomara que o time alcance vôos mais altos, pra quem sabe um dia eu narrar um jogo! Seria uma delícia”.

No final da conversa, Guga Villani ainda falou do vexame brasileiro na Copa do Mundo. “A questão não foi só aquele jogo. O Brasil precisa trabalhar dentro do Brasil. Melhorar o Campeonato Brasileiro, levar mais gente aos estádios durante o ano, dar atenção as categorias de base, equilibrar as contas dos clubes. Fazer uma verdadeira revolução! Aí sim nosso futebol vai mudar de verdade”, cobra Villani.

Argentina x Alemanha acontece neste domingo, dia 13, às 16h. “Convido a todos para assistir a final do Mundial no Fox Sports e espero visitar Marília em breve”, encerra o narrador mariliense que vai testemunhar in loco uma parte da história do esporte.