Desde 2014, mais de 71000 artigos.
,/2022

Falta de água irrita moradores em três regiões de Marília

Cidade
03 de setembro de 2014
10517446_10204715206826808_3672923363958220674_n

Imagens enviadas por leitores, que precisam armazenar água em bacias

A temporada de falta de água em Marília parece que já começou com tudo. Inúmeros leitores enviaram mensagens para a redação do Marília Notícia, reclamando do abastecimento em suas residências.

Zona sul, leste e norte da cidade, estão comprometidas no momento. Na zona sul, o Departamento de Água e Esgoto de Marília (Daem) alega que os fortes ventos de ontem (2) cortaram a energia da região e atrapalharam o funcionamento do sistema de poços Cavalete.

O problema só foi resolvido pela CPFL por volta das 12h30, quando os poços voltaram a funcionar normalmente. Mas, devido ao consumo elevado, o Daem calcula que somente amanhã (4) pela manhã é que os reservatórios voltem ao nível normal. Deve faltar água em vários bairros, como CDHU e Nova Marília. Na região mais de 30 mil pessoas foram afetadas.

Zona leste

O caso mais grave é na zona leste. A leitora Alessandra, reclama de estar sem água desde terça-feira (26) passada. “A água da caixa acabou completamente e a da rua não tem pressão suficiente pra subir, com isso estamos sem água há uma semana”, diz a leitora. “Meu pai já foi pessoalmente até o Daem, mas o problema não foi resolvido”, completa inconformada.

A água da região do Aeroporto só chega entre as 14h e 18h. Assim, os moradores fazem o esquema de armazenar a água em baldes, vasilhas e usam o famoso ‘banho de canequinha’. Em algumas casas, a pressão não é suficiente parar chegar nas caixas d’água, fazendo com que os moradores encham piscinas de plástico para poder utilizar a água mais tarde.

A represa Cascata (que abastece parte dessa região) parou de operar devido a seca e precisa de no mínimo 60 milímetros de chuva. Ontem e hoje choveram apenas 20 milímetros.

Segundo o Daem, o problema deve ser resolvido dentro de 15 dias quando deve entrar em funcionamento o poço profundo perfurado ao lado da represa. Em situação de emergência, a água do poço será jogada diretamente na represa até que esteja pronta uma rede que vai interligar o poço até a adutora.

Enquanto isso, a região Leste está sendo abastecida por meio de remanejamento de redes, com água excedente de outros reservatórios e sistemas de captação.

Zona norte

Em alguns pontos da zona norte de Marília a situação é parecida. Conviver com as torneiras secas virou rotina para moradores de muitos bairros. O leitor Lucas conta que geralmente a caixa d’agua só enche a noite. Outra leitora que preferiu não se identificar disse que além de tudo, a água é de péssima qualidade: “Fede a peixe”, diz.

Nesta quarta feira, foram abertos os envelopes da licitações de quatro poços a serem perfurados pela Prefeitura Municipal na zona norte. Altos do Palmital, região da Examar, Padre Nóbrega e Jardim Primavera.

Represa Cascata está praticamente seca