Desde 2014, mais de 71000 artigos.
,/2022

Estação ferroviária completa 14 anos de abandono: lixo e drogas

Cidade
24 de junho de 2014

estacao1A antiga estação ferroviária de Marília completa 14 anos de abandono em 2014. O local deixou de ser administrado pela América Latina Logística (ALL) em 2001 e hoje vive o auge da decadência. Lixo acumulado, abandono, ponto de consumo de drogas e prostituição são alguns dos problemas no local.

A estação de Marília foi aberta como ponta de linha do então Ramal de Agudos no final de 1928. O vereador Silvio Harada fez um requerimento ao prefeito Vinicius Camarinha pedindo a revitalização da área. “É preciso uma providência. O local fica feio, é abrigo para consumo de drogas e causa uma insegurança grande na população”, alega o vereador.

Hoje uma parte da estação, durante o dia, é usada como estacionamento privado. A noite os usuários de drogas tomam conta do local. Crack é o principal entorpecente usado. A reportagem do MN, flagrou semana retrasada uma intervenção da Polícia Militar no local, por volta da meia noite, devido a usuários que brigaram entre si (um deles armado com uma faca). 

Prostituição também é uma reclamação. Fontes do MN revelam que mulheres acabam fazendo sexo no armazém abandonado, muitas vezes também em troca de drogas. Segundo a prefeitura de Marília é possível que um centro cultural seja instalado na estação, mas não dá maiores detalhes.

Para a Polícia Militar, apesar da necessidade de revitalização da área, o espaço deixou de ser um problema de segurança. “A Polícia Militar mantém o patrulhamento diário no local por conta do fluxo de pessoa. No entanto, neste ano, somente um caso de furto foi registrado”, afirma a capitã da PM, Meire Andréia de Moraes, em entrevista a uma rede de televisão.

estacao2

 

Com informações do G1