Desde 2014, mais de 31000 artigos.
,/2018

Empresa visita residências e reforça combate ao Aedes

Cidade
16 de abril de 2018

Empresa contratada pela Prefeitura visita residências e reforça combate ao Aedes. (Foto: Carlos Rodrigues)

O combate aos criadouros do mosquito Aedes Aegypti em Marília é realizado com a participação dos funcionários da empresa Bump Impermeabilização e Dedetização LTDA, que tem contrato vigente com a Prefeitura de Marília para serviços de nebulização e outras atividades relacionadas ao combate a vetores.

Moradores devem ficar atentos à identificação (crachá e uniforme), mas podem receber com tranquilidade a empresa parceira e acompanhar os procedimentos. Em caso de dúvida, basta entrar em contato pelo telefone (14) 3401-2054, na Divisão de Zoonoses.

O supervisor de Saúde Rafael Colombo, responsável pela execução dos serviços e orientação aos terceirizados, explica que os funcionários da Bump utilizam camisetas e bonés na cor vermelha, além de crachá de identificação da empresa privada.

“No total, são 20 trabalhadores. Entre outras atividades, eles realizam a visita domiciliar, visando o controle de criadouros e a orientação aos moradores. Uma das ações que eles estão fazendo é depositar uma porção de larvicida nos ralos dos banheiros e dos quintais. É importante que o morador acompanhe”, informa Colombo.

O aposentado Donizete Antônio dos Santos, morador do Jardim Maracá, recebeu os funcionários da Bump e aprendeu mais uma dica. “O rapaz me explicou que a gente pode colocar uma colherinha de sabão em pó naquele reservatório de água de degelo, atrás da geladeira. É muito importante combater esse mosquitinho. Dengue, não”, decretou o idoso.

REFORÇO

O contrato com a Bump foi assinado no final de outubro do ano passado. Durante a fase de maior risco de transmissão (novembro a março), os bloqueios de nebulização ocuparam a maior parte do tempo das equipes. Já nas últimas semanas, os chamados bloqueios mecânicos (verificação e eliminação de criadouros) foram intensificados.

Conforme o protocolo do Ministério da Saúde, a nebulização só é feita em perímetros em que existem casos positivos. Não se trata de um recurso de prevenção, com uso indiscriminado por toda a cidade, mas uma forma de bloqueio. A melhor forma de prevenção é a eliminação de criadouros, impedindo o mosquito de se reproduzir.

“O trabalho que está sendo feito agora é tão, ou mais, importante que a nebulização em si. Se essa vigilância da população permanecer, estaremos nos precavendo da dengue e outras doenças transmitidas pelo Aedes nos meses de estiagem. É também prevenção para que o próximo período chuvoso seja tranquilo”, disse o supervisor.

Durante todo o ano de 2017, a cidade registrou 24 casos de dengue. Em 2018, foram 17 positivos até o final do mês de março, sendo que nas últimas semanas as notificações de suspeitas desaceleraram em função das ações de controle e condições climáticas.

(Foto: Carlos Rodrigues)