Desde 2014, mais de 29000 artigos.
,/2018

DIG prende envolvido em tentativa de homicídio na zona Norte

Polícia
11 de abril de 2018

Carro que foi alvejado no crime (Foto: Divulgação)

A Polícia Civil, através da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Marília, divulgou somente nesta quarta-feira (11) a prisão de Vitor E. A. (sobrenome não foi divulgado), de 29 anos, acusado de tentativa de homicídio.

O suspeito, conhecido como Vitinho, é proprietário de uma oficina de motos, e segundo a polícia, participou da tentativa de assassinar a tiros um pintor de 30 anos no último dia 5 de abril. A prisão de Vitinho ocorreu no dia seguinte, 6 de abril.

Na ocasião, a vítima disse que estava bebendo em um bar, que não teve nome e endereço informados, quando passou um homem e deu os tiros. Em seguida, o pintor teria se dirigido a um posto de combustíveis na rua Thomaz Alcalde para pedir socorro.

Momentos depois uma equipe do Samu chegou ao posto e levou o homem baleado até o Hospital das Clínicas, onde o médico plantonista conseguiu retirar o projétil da costela dele. Ele continua internado na UTI da unidade.

Segundo a polícia, na data do crime, a vítima se encontrou com Anderson Paula, vulgo “Gordinho”, de 32 anos, no referido bar.

Gordinho possui antecedentes por tráfico e tentativa de homicídio (ao que consta ainda pendente de julgamento). Ele também deixou o sistema prisional no último dia 22 de março.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, uma discussão teria ocorrido entre os dois.

“Consta que Anderson deixou o local da discussão em companhia de Vitor, e lá retornaram pouco tempo depois, sendo que, preocupada, a vítima entrou rapidamente em seu GM/Corsa e deixou o local, mas passou a ser perseguido por Vitor (que dirigia uma motocicleta) e Anderson (que estava na garupa do veículo)”, afirma a polícia.

O comunicado diz ainda que “ao alcançarem a vítima, Anderson efetuou contra ela diversos disparos de arma de fogo, atingindo  e o automóvel que ela conduzia”.

Vitor, que possui antecedentes por porte de arma de fogo, foi identificado e localizado no último dia 6. Ele teve sua prisão temporária decretada por 30 dias e informalmente chegou a confessar sua participação no crime.

Já Anderson se encontra foragido e sua prisão temporária também foi decretada.

Caso alguém tenha conhecimento de seu paradeiro, deve comunicar a Polícia Civil através do telefone 197, com preservação de sua identificação.

Inquérito policial foi aberto para apuração de crime de homicídio qualificado tentado, mediante recurso que impossibilitou a defesa do ofendido, que prevê pena de 12 a 30 anos de reclusão, com redução de um a dois terços em virtude das tentativas.