Desde 2014, mais de 71000 artigos.
,/2022

Com 263 casos, situação é de controle da dengue em Marília

Cidade
03 de maio de 2022

Agente de saúde orienta moradora durante ação de combate ao mosquito Aedes aegypti (Foto: Divulgação)

Relatórios semanais divulgados pela Secretaria Municipal da Saúde têm mostrado situação de controle da dengue em Marília. Com 263 casos positivos até o dia 28 de abril, a cidade vive taxa de contaminação muito melhor do que a registrada no mesmo período do ano passado, quando já tinham sido contabilizados 1.572 testes confirmados da doença.

Outras cidades da região, até menores em números de habitantes, estão em situação mais crítica. Tupã (distante cerca de 74 quilômetros de Marília), por exemplo, já soma com 959 casos positivos desde 1º de janeiro. Balanço foi divulgado neste último domingo (1º). Garça (distante cerca de 30 quilômetros de Marília), que tem aproximadamente 44 mil habitantes, já conta com 1.074 positivos.

Para garantir que a doença não se alastre, a Prefeitura de Marília realizou no último sábado (30) a 10ª Ação Conjunta de Intensificação do combate ao mosquito Aedes aegypti. O objetivo da mobilização, que aconteceu na zona Norte, é fazer o Bloqueio do Controle de Criadouros (BCC), por meio de trabalhos educativos, busca de possíveis infectados e eliminação de criadouros do mosquito.

A atividade deste fim de semana priorizou 42 quadras dos bairros Julieta e Santa Antonieta III, onde os agentes de saúde visitaram 1.053 residências. Houve 36 recusas, e outras 1.021 casas estavam fechadas.

Bairros Julieta e Santa Antonieta III foram alvos da ação da prefeitura (Foto: Divulgação)

NEBULIZAÇÃO DE INSETICIDAS

Após realização dessa ação de intensificação, serão iniciadas as ações de Nebulização Acoplada a Veículo (NAV) também nos bairros Julieta e Santa Antonieta III nesta terça-feira (3), quarta (4) e quinta-feira (5), das 19h às 22h.

“Faremos ampla divulgação junto à comunidade, mas já adiantamos que nestes dias os moradores devem manter neste horário as portas e janelas abertas de forma a permitir que o produto atinja o interior das residências e elimine os insetos que ali se encontrem. Cubram alimentos e utensílios de cozinha, protejam idosos e enfermos em um aposento fechado durante a passagem do equipamento”, destaca o secretário municipal da Saúde, Cassio Luiz Pinto Júnior.

BALANÇO

As Ações Conjuntas de Intensificação do Combate ao mosquito Aedes aegypti tiveram início no dia 19 de fevereiro deste ano. Durante estes três meses – e nas dez edições – foram trabalhadas 785 quadras e visitadas 13.580 casas. Os bairros foram selecionados de acordo com o perfil epidemiológico dos territórios.

Ações de nebulização serão realizadas no decorrer da semana (Foto: Divulgação)

CONTINUIDADE

As ações de combate à dengue vão continuar no município e, concomitantemente às atividades de intensificação, ocorrerão ações de Nebulização de Inseticidas e instalação das Estações Disseminadoras (EDs) nos pontos estratégicos indicados pela equipe da Divisão de Zoonoses.

COMO EVITAR

Para evitar a dengue, deve-se manter um cuidado durante todo o ano, pois qualquer tipo de água parada pode ser o ambiente perfeito para proliferação do mosquito.

Alguns cuidados devem ser tomados para evitar a proliferação do mosquito, como:

  • NÃO DEIXE ÁGUA PARADA – Fique sempre atento ao acúmulo de água em recipientes como vasos de plantas, pneus, calhas, latas, entre outros. Utilize terra ou areia em vasos e pratos e mantenha-os limpos.
  • CAIXAS D’ÁGUA, CISTERNAS E POÇOS – Mantenha-os fechados e vedados. Tampe com tela aqueles que não têm tampa própria.
  • LIXO, ENTULHO E PNEUS VELHOS – Entulho e lixo devem ser descartados corretamente. Guarde os pneus em local coberto ou faça furos para não acumular água.
  • LIXEIRAS DENTRO E FORA DE CASA – Mantenha as lixeiras tampadas e protegidas da chuva. Feche bem o saco plástico.
  • CALHAS – Limpe e nivele. Mantenha-as sempre sem folhas e materiais que possam impedir a passagem da água.
  • LAJES – Não deixe água acumular nas lajes. Mantenha-as sempre secas.
  • RALOS – Tampe os ralos com telas ou mantenha-os vedados, principalmente os que estão fora de uso.
  • VASILHAS PARA ANIMAIS – Os potes com água para animais devem ser muito bem lavados com água e sabão no mínimo duas vezes por semana.
  • COLETOR DE ÁGUA DA GELADEIRA E AR-CONDICIONADO – Atrás da geladeira existe um coletor de água. Lave-o uma vez por semana, assim como as bandejas do ar-condicionado.
  • GARRAFAS – As garrafas devem ser embaladas e descartadas na lixeira. Se guardadas, devem estar em local coberto ou de boca para baixo.
  • FACILITE O CONTROLE DA DOENÇA – Permita sempre o acesso do agente de controle de zoonoses em sua residência ou estabelecimento comercial.

SINTOMAS

Os sintomas da doença são: febre alta com início súbito; forte dor de cabeça; dor atrás dos olhos; perda de paladar e apetite; náuseas e vômitos; tonturas; extremo cansaço; manchas e erupções avermelhadas na pele semelhantes ao sarampo; moleza e dor no corpo; e dores musculares intensas, nas articulações e atrás dos olhos.

O QUE FAZER EM CASO DE SUSPEITA?

Em caso de suspeita de dengue, morador deve procurar a unidade ou posto de saúde mais próximo. O rápido diagnóstico é fundamental no tratamento.

DENÚNCIA DE FOCOS:

Se você souber de algum local que não esteja observando as orientações de prevenção contra a dengue, cidadão também pode denunciar através da Ouvidoria da Prefeitura de Marília, pelos telefones: 0800-7766-111 e (14) 9 9799-6361 [clique aqui para iniciar uma conversa]. O e-mail é o [email protected] e o site o www.marilia.sp.gov.br/ouvidoria.