Desde 2014, mais de 71000 artigos.
,/2022

Casal é suspeito de raptar filhos de relacionamentos anteriores

Polícia
15 de julho de 2014
gustavo

Cláudia Matame e Gustavo, de 9 anos.

Um casal é acusado de sumir com os filhos dos casamentos anteriores na última semana em Marília. Cláudia Matame e Adão de Brito são investigados pela Polícia Civil, que acredita que o desaparecimento de Gabrielli, de 7 anos e Gustavo, de 9 anos tenha sido planejado.

Um boletim de ocorrência foi registrado no plantão policial como subtração de incapaz – quando um menor de idade é retirado de quem tem a guarda. Gabrielli e Gustavo sumiram após o final de semana em que os pais divorciados poderiam passar o tempo estipulado com eles.

Hellen Rodrigues de Oliveira e Kolto Tokio Saito são os pais que têm a guarda dos menores e se conheceram na delegacia, descobrindo a infeliz coincidência. Claudia (ex-mulher de Kolto) e Adão (ex-marido de Hellen) estavam tendo um relacionamento amoroso. A polícia suspeita de que os dois tenham fugido com as crianças para formar uma nova família. Quando procurados Claudia e Adão já haviam abandonado o emprego, casa e não atendem mais o telefone.

“Vamos instaurar inquérito e investigar com muito rigor”, disse o delegado seccional, Luiz Fernando Quinteiro. O delegado de Marília disse em uma entrevista que esse tipo de crime é muito comum em períodos de férias escolares. “É um crime muito comum aos finais de semana porque muitos casais desrespeitam a decisão judicial e nunca entregam a criança, ou no horário, ou no dia definido e, às vezes, até mesmo, com algum problema de saúde. Ou seja, faltou talvez cautela na guarda. Esses casos também são comuns nos meses de férias escolares, como dezembro, janeiro e julho”, enfatizou.

gabrielly

Adão e Gabrielli

O garoto Gustavo deveria ter retornado para casa no domingo à noite. Na verdade ele é filho biologicamente somente da mãe Claudia, que teve o menino em outro relacionamento, mas Tokio é quem cuidava legalmente da criança. No caso de Gabrielli, já não é a primeira vez em que o pai faz isso. No ano passado, ele teria ficado dois meses com a criança, descumprindo uma ordem judicial. Gabrielli só voltou para casa após a polícia encontrar a menina em São Bernardo do Campo.

Qualquer informação sobre o caso, entrar em contato com a Polícia Civil.