Desde 2014, mais de 46000 artigos.
,/2020

Boates devem ser fechadas e bares vão diminuir a capacidade

Cidade
16 de março de 2020

Reunião na manhã desta segunda entre autoridades e entidades (Foto: Leonardo Moreno/Marília Notícia)

O prefeito Daniel Alonso (PSDB) deve editar um decreto, ainda nesta segunda-feira (16), que proíbe por pelo menos 30 dias o funcionamento de casas noturnas e boates em Marília. O pedido para adoção da medida foi feito pelo presidente da Câmara Municipal, vereador Marcos Rezende (PSD).

Rezende comentou o assunto durante reunião na manhã de hoje, entre entidades e autoridades de saúde das redes municipal, estadual e privada, que visa a criação de um plano de contingência contra o coronavírus em Marília.

“É um momento em que todos nós estamos respeitando a vida. Temos essa responsabilidade nesse momento de contingenciamento. Que a gente saia na frente de outros locais. Acho que o prefeito deveria baixar um decreto proibindo eventos em boates e locais fechados. É uma opinião, espero que isso venha a acontecer e o prefeito me garantiu que vai fazer”, afirmou Rezende ao Marília Notícia.

Bares e restaurantes

O secretário da administração municipal, Cássio Luiz Pinto Junior, afirmou que neste domingo (15) houve também uma reunião com diversos proprietários de bares e restaurantes na cidade.

Segundo o secretário, ficou combinado que alguns locais irão diminuir a capacidade a partir desta semana, em torno de 30%, a fim de evitar o fechamento dos estabelecimentos e possíveis prejuízos por conta do coronavírus.

“Surgiu essa ideia que já vem ocorrendo em alguns centros urbanos. É a diminuição na capacidade de atendimento através do aumento de espaçamento entre as mesas. A medida foi vista como uma solução e será adotada a partir dessa semana, para possibilitar maior segurança dos clientes”, afirmou Pinto Junior ao MN.

A reportagem também conversou com Sinval Gruppo, presidente do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Marília.

“Imediatamente estamos aconselhando separar as mesas com pelo menos dois metros de distância, colocar álcool gel em todas as mesas, abrir as portas e incentivar o delivery. Vale ressaltar que nós estamos apenas orientando os estabelecimentos, não podemos forçar ninguém”, disse Sinval.

Gruppo afirmou ainda que novas medidas poderão ser tomadas dependendo do desenrolar da situação.

O presidente do sindicato relatou que no último final de semana já foi possível notar uma leve diminuição de púbico nos estabelecimentos. “Já notamos uma leve diminuição de público, foi branda, mas já ocorreu. Estamos muito preocupados”, finalizou.