Desde 2014, mais de 35000 artigos.
,/2019

Banco de Leite celebram Dia da Doação e criam “corrente do bem”

Cidade
16 de maio de 2019

Número de doadoras é de apenas 59, quando o ideal seria pelo menos 120 voluntárias. (Foto: Julio César de Carlis)

Nesta quarta-feira (15), conforme dados dos hospitais de Marília, 24 bebês estavam internados em UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) por nascimento prematuro e outras complicações de saúde. São crianças que dependem de doações de leite para sobreviver. Na cidade, o Dia Nacional da Doação, celebrado em 19 de maio, terá mobilização.

A iniciativa é da equipe do BLH (Banco de Leite Humano), um serviço da Secretaria Municipal da Saúde de Marília. Grupo de empresários da cidade aderiu à campanha e iniciou uma série de intervenções sociais em apoio à causa.
O

grande desafio, explica a enfermeira Sandra Domingues, supervisora do BLH, é aumentar de forma permanente o número de doadoras. Atualmente 59 voluntárias estão cadastradas e colaboram, em média, com 70 litros por mês.

“Precisamos de pelo menos 120 mamães doando para manter um estoque seguro e suprir a necessidade dos bebês internados. Para se ter uma ideia nascem em Marília quase 4 mil bebês por ano e, por isso, o nosso apelo para sensibilizar a população para a importância da doação”, disse Sandra.

“EMPRETECOS”

(Foto: Julio César de Carlis)

Para fortalecer a divulgação e mobilização à causa, o Banco de Leite Humano recebeu a visita de um grupo de empresários marilienses. São os “empretecos”, participantes da Metodologia Empretec, criada pela Organização das Nações Unidas (ONU) e aplicada no Brasil com exclusividade pelo Sebrae.

A empresária Sandra Matunoshita, fundadora da SOS Alergia, integra o grupo. Ela já foi doadora (dois filhos) e receptora (fase inicial do puerpério, na 2ª gestação). Logo após o parto não conseguiu amamentar. Passadas algumas semanas já fazia doações.

“A gente que está acostumada a doar também precisa entender que pode receber. Foi novo e muito especial para mim quando precisei do Banco de Leite como mãe. Foi um aprendizado, que só fortaleceu meu vínculo com essa causa”, conta a empreendedora.

Sandra trabalha em mercado que cresce com o aumento das alergias e também com as doenças que impossibilitam o aleitamento exclusivo materno. Mas, na contração de qualquer interesse empresarial, ela é uma entusiasta da amamentação.

CORRENTE DO BEM

Entre as ações do “empretecos”, está a arrecadação de potes de vidro que, devidamente esterilizados no Banco de Leite Humano, podem ser usados para coleta de leite. O grupo também está atuando na divulgação da causa, inclusive com a produção de outdoors alusivos ao tema.

SERVIÇO

O BLH tem atendimento ao público das 7h30 às 13h30 e está instalado à rua 15 de Novembro, 50. É possível fazer doações com a retirada do leite em domicílio. Basta entrar em contato. O telefone é o 3413-8696.