Desde 2014, mais de 50000 artigos.
,/2020

Aumento nas suspeitas de dengue coloca Marília em alerta

Cidade
16 de janeiro de 2020

Servidor da Prefeitura vistoria quintal em busca de criadouros do moquisto Aedes Aegpty (Foto: Divulgação)

Marília registrou 99 casos suspeitos de dengue somente nas duas primeiras semanas deste ano, além de cinco pessoas já confirmadas com a doença. O aumento nas notificações exige ainda mais vigilância por parte da população e poder público.

Neste começo de ano a média é de quase 50 casos suspeitos por semana, número que não vinha sendo registrado há cinco meses.

Para se ter ideia, nas últimas semanas de 2019 com dados disponíveis, a média de casos suspeitos de dengue notificados foi de 23,2. Ou seja, menos da metade do que está sendo registrado agora.

Com o período de chuvas, já era esperado por parte da Secretaria de Saúde um aumento no número de notificações envolvendo a dengue.

No entanto, as notificações sobre suspeitas deste ano estão bem acima do que foi registrado nas primeiras duas semanas de 2019. Naquela ocasião foram 12 ocorrências em cada semana, ou seja, cerca de 25% do que vem sendo constatado em 2020.

Em relação aos casos confirmados, nas duas primeiras semanas do ano passado foram duas situações, menos da metade de 2020.

Para complicar, este será o primeiro ano em que não será utilizado o inseticida para eliminar mosquitos adultos (Malathion), antes recomendado e distribuído pelo Ministério da Saúde.

Além disso, falta em Marília e em outros municípios o larvicida que até 2019 era utilizado para eliminar ovos e larvas.

Conforme lembra a enfermeira Alessandra Arrigoni Mosquini, supervisora da Vigilância Epidemiológica, cerca de 80% dos criadouros estão dentro das residências, ou seja, em locais de domínio do próprio morador.

“Os agentes fazem as visitas, orientam, explicam a importância de retirar os criadouros, ensinam como fazer a prevenção de novos focos, mas se a pessoa permitir que o recipiente volte a reter água ou acumule novos criadouros na casa, o Poder Público não tem como impedir que o mosquito se reproduza. É uma questão de consciência”, disse.

Ações

A equipe da Prefeitura de Marília trabalha na revisão do chamado “Plano de Contingência”, que prevê medidas emergenciais que devem ser tomadas, em caso de transmissão e epidemia.

Além de orientar os agentes para intensificação das visitas e realinhar a atuação da empresa contratada para as ações de bloqueio (Bump), a Prefeitura de Marília também está investindo em capacitação e revisa seu plano, conforme o cenário.

Na próxima terça feira (21) a reunião periódica de Vigilância em Saúde será ampliada, com outros setores da pasta, para redefinir detalhes do Plano de Contingenciamento. O objetivo é que, em caso de emergência, o tempo entre o start e a execução seja o menor possível.

Já na próxima quinta-feira, dia 23, acontece na Secretaria Municipal da Saúde uma capacitação para 23 médicos e enfermeiras contratadas recentemente. As instruções serão ministradas pela médica infectologista Camila Aparecida Ribeiro, do SAE – Serviço de Atendimento Especializado.

Nos dias 05 e 06 de fevereiro haverá reunião técnica com todos os médicos e enfermeiros da rede de atenção primária e Vigilância Epidemiológica, para discussão sobre Manejo de Dengue.

A medida visa alinhar processos, para notificação dos casos suspeitos e assistência adequada aos pacientes que procurarem as unidades de saúde com sintomas.