Desde 2014, mais de 31000 artigos.
,/2018

Acusado de roubar churrascaria é preso com drogas no Argollo Ferrão

Polícia
09 de outubro de 2018

Simulacro de pistola, drogas e dinheiro apreendidos em operação da Polícia Militar na zona Oeste de Marília. (Foto: Divulgação)

Uma ação dos policiais militares da Rocam (Ronda Ostensiva com Apoio de Motocicletas) prendeu na noite desta segunda-feira (8) o desempregado Guilherme Alves Ferreira da Silva, de 24 anos, acusado de roubar R$ 2,4 mil de uma churrascaria neste domingo (7) na zona Oeste de Marília.

A operação também apreendeu o simulacro de arma de fogo utilizado no crime e prendeu outro desempregado, Wesley Costa Soares, 25, por volta das 19h30 no bairro Argolo Ferrão.

A dupla estava traficando drogas em um ponto de venda e distribuição de entorpecentes na rua Monsenhor João Batista Tófoli.

Conforme o Boletim de Ocorrência, os policiais receberam a informação de que um dos envolvidos no assalto estava no ponto de drogas. As equipes da Rocam foram direcionadas para o local onde localizaram dois suspeitos.

Ao notarem a presença da polícia, os homens se separaram e cada um correu para uma direção da favela. Os policiais também se dividiram e realizaram o acompanhamento dos suspeitos.

Wesley Soares foi interceptado com 198 porções de crack, 38 pinos com cocaína, 78 porções de maconha e R$ 110 em dinheiro na rua Jupira Souto.

A outra equipe da PM também conseguiu abordar Guilherme Silva, que ofereceu resistência e foi necessário uso de força física para contê-lo.

Segundo a PM, o acusado estava com um simulacro de arma de fogo utilizado no roubo, dois sacos com pedras de crack, sacos com microtubos vazios e R$ 352 em dinheiro.

Ele teria confessado participação no roubo à churrascaria e informou que parte do dinheiro estava em sua residência, localizada na rua Pedro Roberto Sebiliano. Em diligência no endereço, os policiais localizaram R$ 800 em dinheiro no quarto do acusado.

Diante das circunstâncias, a dupla foi encaminhada para a Central de Polícia Judiciária (CPJ) de Marília, onde o delegado de plantão ratificou as prisões. Após uma audiência de custódia, eles foram encaminhados para a Penitenciária de Marília.