Desde 2014, mais de 71000 artigos.
,/2022

Morre a segunda vítima do tiroteio na Estrada do Pombo

Polícia
15 de setembro de 2014

Morreu ontem (14) a noite de maneira oficial, o jovem Wellington Luiz Pardin Ramos, de 18 anos (completados no dia 8 de setembro), que estava internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital das Clínicas desde o dia 31 de agosto. O rapaz, que teve morte cerebral no último dia 11, é a segunda vítima do tiroteio ocorrido em uma chácara localizada na Estrada do Pombo, zona oeste de Marília. Na ocorrência o marceneiro Wesley Richard Lisboa de Souza, de 26 anos, também foi assassinado.

Segundo testemunhas, o local recebia uma festa de aniversário com bebida liberada e música eletrônica. Wesley foi o primeiro a ser morto com um disparo no peito. Wellington foi baleado na cabeça e de acordo com seu pai, Marcio Ramos, nada tinha a ver com a confusão. Segundo ele, durante a correria Wellington tentou esconder-se, no entanto, acabou atingido pelo disparo que perfurou o crânio.

Mais de 100 pessoas estavam na chácara e no momento do crime o desespero foi grande: choro, gritaria, empurra empurra e uma debandada geral dos convidados. Alguns inclusive pularam os muros da propriedade na hora da tensão.

VEJA AS IMAGENS DO CRIME:

ATENÇÃO: IMAGENS FORTES E NÃO RECOMENDADAS PARA MENORES DE 18 ANOS.

PRISÃO

Depois de alguns dias de investigação, policiais da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) chegaram até Waldir Francisco de Oliveira, de 35 anos, mais conhecido como ‘Chibiu’. Ele foi preso no final da tarde do último dia 5 de setembro na rua Zoroastro Alves dos Santos, Vila Real, zona sul da cidade.

‘Chibiu’ é um dos maiores traficantes de toda a região e é acusado agora de homicídio duplo. Outros dois suspeitos que não tiveram os nomes divulgados, estão foragidos. O delegado titular da DIG, Aéliton Souza, pediu um mandado de prisão de 30 dias para ‘Chibiu’, que prestou depoimento no dia e foi encaminhado para a Penitenciária de Marília. Ele alegou ser inocente e disse que provará isso na Justiça.