Desde 2014, mais de 62000 artigos.
,/2021

Nódulos no pescoço? Saiba qual médico procurar

Coluna
29 de abril de 2021

Dr. Levy Figueiredo é médico-cirurgião especialista em cabeça e pescoço (Foto: Divulgação)

Com o aumento da prevalência de câncer de cabeça e pescoço no Brasil, tem se tornado cada vez mais comum a necessidade de consulta com médico especialista na área.

O cirurgião de cabeça e pescoço – como é o meu caso – é o médico responsável pelo diagnóstico, seguimento e tratamento dos pacientes (adultos e pediátricos), que são portadores de tumores benignos e malignos na parte de cima do corpo.

Como dito no último artigo, a disfunção da tireoide hoje atinge de cinco a oito vezes mais as pessoas do sexo feminino, e essa pode ser uma das causas de tumores nas mulheres.

Na outra ponta, mas com mesma proporção, também cresce a incidência de câncer de boca em homens.

Outro mal atual é o câncer de faringe associado ao HPV, que tem alterações significativas em relação aos tumores negativos.

Fatos como estes mostram que o papel do cirurgião de cabeça e pescoço é de suma importância para a sociedade brasileira, tanto no diagnóstico precoce quanto no tratamento especializado.

A especialidade requer como pré-requisito a formação em cirurgia geral, e o tempo de especialização na cabeça e pescoço pode variar de 2 a 3 anos – dependendo do serviço.

A especialidade trata das doenças e tumores que acometem a região da face, como nas cavidades nasais, seios paranasais (situados ao lado nas cavidades nasais), boca, faringe, laringe, tireoide, paratireoides (localizadas atrás da tireoide), glândulas que produzem a saliva, tecidos moles do pescoço e couro cabeludo.

QUANDO PROCURAR?

Desta forma o paciente pode procurar o médico de cabeça e pescoço, sem depender de indicação, quando apresentar:

  • Feridas na língua, boca ou garganta com mais de três semanas de duração;
  • alterações na voz ou na deglutição com mais de três semanas de duração;
  • e aparecimento de nódulos no pescoço.

Apesar de abrangente, a cirurgia de cabeça e pescoço não compreende os tumores ou doenças do cérebro e outras áreas do sistema nervoso, nem da coluna cervical. Esses procedimentos são realizados por um neurocirurgião.

Contudo, os casos de câncer de pele na região, por exemplo, podem necessitar do conhecimento do cirurgião de cabeça e pescoço.

Pela amplitude, a especialidade está em constante contato com outras áreas da Medicina. É o caso da Endocrinologia e da Dermatologia, que costumam encaminhar pacientes com suspeita ou diagnóstico de tumores nessas regiões. A Odontologia também tem uma relação estreita com o profissional de cabeça e pescoço.

NÃO CONFUNDA

Assim, apesar das atribuições definidas, é comum que os pacientes ainda se confundam. A área não trata, por exemplo, acometimentos cerebrais, como dores de cabeça e enxaqueca. O médico indicado nessas situações é o neurologista.

As dores no pescoço também não são tratadas pelo profissional de cabeça e pescoço. Neste caso, o especialista adequado é o ortopedista. Desvios de septo nasal e zumbidos no ouvido são do ramo do otorrinolaringologista.

CIRURGIA

Por ser uma área de muitas estruturas anatômicas, a cirurgia se torna mais complexa e minuciosa e as preparações para o procedimento dependem do que vai ser feito.

Por outro lado, a recuperação em geral não é longa, mas pode variar de acordo com o porte e motivo da cirurgia.
Por isso, é sempre importante lembrar que tumor na região da cabeça e pescoço pode ser facilmente removido, basta um diagnóstico precoce.

*

Dr. Levy Figueiredo é médico-cirurgião especialista em cabeça e pescoço (CRM-SP 156210)