Desde 2014, mais de 35000 artigos.
,/2019

Garoto com epilepsia precisa de cirurgia urgente, diz família

Cidade
14 de março de 2019

Rafael frequentemente fica doente e precisa ser internado por problemas respiratórios (Foto: Arquivo Pessoal)

Rafael Azevedo da Silva, 11 anos, foi diagnosticado há aproximadamente um ano com epilepsia, além de apresentar diversos problemas respiratórios desde que nasceu. Familiares afirmam que ele precisa urgentemente de uma cirurgia na amídala.

Na última segunda-feira (11) o garoto convulsionou dentro da escola e o motivo seria a dificuldade de respiração que limitou a quantidade de oxigênio em seu cérebro, segundo sua irmã Tatiane Azevedo da Silva Saraiva, de 27 anos.

Isso nunca tinha acontecido, apesar dos graves ataques que tem sofrido enquanto dorme. As ocorrências começaram a se tornar mais frequentes.

Especialistas afirmaram, de acordo com Tatiane, que o procedimento cirúrgico pode reduzir a quantidade de ataques epiléticos e evitar trágicas consequências, como sequelas e até o óbito. “O problema é que não temos como pagar a cirurgia”, diz ela.

A mãe do menino já teve que fazer diversas dobras no serviço de diarista para conseguir pagar médicos particulares que deram os diagnósticos do garoto. A família também se vale da realização de rifas para custeio de exames e tratamento.

Rafael e o irmão gêmeo Lucas (Foto: Arquivo Pessoal)

Rafael tem ainda tem o irmão gêmeo Lucas, com os mesmos problemas na amídala, mas sem o agravante da epilepsia. A prioridade da família seria conseguir a cirurgia para Rafael, mas o irmão também estaria na espera.

“Eles possuem a amídala muito grande”, conta a irmã. “Agora estamos tendo acompanhamento eventual de pneumologista e neurologista. Mas precisamos de vaga urgente para a cirurgia pela rede pública, pelo menos para o Rafael”, comenta.

Mãe, Maria Azevedo, e os filhos (Foto: Arquivo Pessoal)

Outro lado

A reportagem do Marília Notícia apurou com a administração municipal que Rafael aguarda desde junho do ano passado para ser atendido por um otorrinolaringologista. O garoto deve ser atendido no dia 20 de março.

A Secretaria de Saúde aguarda o parecer do especialista para indicar se trata-se de um caso cirúrgico ou não.

A irmã Tatiane com Rafael (Foto: Arquivo Pessoal)