Desde 2014, mais de 71000 artigos.
,/2022

Garça sofre com falta de xaropes e antibióticos

Regional
15 de junho de 2022

Medicamentos estão em falta em Garça (Foto: Divulgação)

A Secretaria Municipal da Saúde de Garça (distante 35 quilômetros de Marília) divulgou comunicado para apontar a falta de alguns medicamentos da rede básica na cidade.

Dois antibióticos (amoxicilina + clavulanato de potássio suspensão e azitromicina suspensão) e um xarope (ambroxol adulto e pediátrico) estão em falta.

Esses medicamentos tiveram alta demanda de consumo nacional devido à nova onda de Covid-19 e síndrome gripal. O que havia sido programado para uso em três meses foi distribuído em apenas um.

De acordo com a pasta, os pedidos de compra desses medicamentos já foram feitos junto aos fornecedores, mas a entrega está em atraso. A pasta afirma que o contato com os fornecedores é constante para manter o abastecimento dos estoques sempre em dia.

“A Prefeitura reitera ainda, que a compra de medicamentos é toda planejada, com a previsão de estoque de segurança, tanto que o antibiótico Amoxicilina suspensão, que está na relação de medicamentos em falta no país, a população não tem problemas para encontrar, gratuitamente, na Farmácia Central de Garça. O mesmo acontece com o Prednisolona”, diz o comunicado.

Ainda segundo a Saúde, a relação de medicamentos em falta é fornecida semanalmente para todos os postos, para que os médicos possam prescrever os remédios que estão disponíveis na Farmácia Central, assim como, orientar os pacientes.

BRASIL

O Brasil enfrenta desabastecimento de medicamentos nas redes pública e privada.

De acordo com fornecedores, a falta de insumos é a razão para o desabastecimento, que vai desde o princípio ativo a outros componentes na produção dos remédios.

A indústria nacional de medicamentos importa grande parte da matéria-prima da China e da Índia, que estão com as exportações afetadas desde o início da pandemia.

O alerta para o desabastecimento já havia sido feito pela Organização Mundial da Saúde (OMS), pela Frente Nacional de Prefeitos (FNP) e o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems).