Desde 2014, mais de 35000 artigos.
,/2019

Estado confirma aeroporto de Marília em programa de privatização

Cidade
10 de janeiro de 2019

Pista do do aeroporto estadual Frank Miloye Milenkovich na zona Leste de Marília (Foto: Divulgação/Daesp)

O Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo (Daesp) confirmou que o aeroporto de Marília, Frank Miloye Milenkovich, será passado à iniciativa privada em regime de concessão.

A informação foi confirmada nesta quinta-feira (10) após questionamento feito pelo Marília Notícia ao órgão ligado à Secretaria de Logística e Transportes do Estado. O certame deve ser concluído até o final de 2022, último ano do governo João Dória (PSDB).

“Temos 20 aeroportos que serão repassados à iniciativa privada em regime de concessão. Já orientamos a equipe para preparar a concessão de todos os aeroportos”, afirmou João Dória em sua primeira visita ao interior de São Paulo como governador nesta quarta-feira (9).

A fala do chefe do Executivo paulista consta em nota enviada pela assessoria de imprensa da pasta responsável pelos aeroportos.

“Teremos uma reunião com todos os presidentes das companhias aéreas brasileiras e o presidente da Anac para planejar esse programa, que será desenvolvido em quatro anos. Não é um fato instantâneo e faremos com planejamento”, coloca João Doria.

Em junho de 2018, durante sua pré-campanha, o governador João Dória (PSDB) esteve na cidade e revelou a intenção de privatizar o aeroporto local. Na ocasião a proposta recebeu destaque em reportagem do MN.

“O setor público não vai fazer investimentos porque há potencial,  [o aeroporto] já atende linhas regionais, já tem fluxo suficiente para que o terminal seja privatizado e colocado sob administração privada”, disse João Dória na ocasião.

No final de maio a Prefeitura de Marília anunciou que uma comitiva, composta inclusive pelo prefeito Daniel Alonso (PSDB), conseguiu na Agência Nacional da Aviação Civil investimento de R$ 20 milhões para reforma do aeroporto a partir de 2021.

O projeto já confirmado prevê um novo terminal de embarque, que passaria dos atuais 572 metros quadrados para 3,5 mil metros quadrados; um novo pátio para estacionamento das aeronaves com 23,1 mil metros quadrados; pista de pouso recapeada e novo terminal de embarque com estacionamento para 300 veículos.

Ainda não se sabe como ficará o investimento com a concessão do aeroporto Frank Miloye Milenkovich.

Saiba mais

O aeroporto estadual de Marília fica localizado na avenida Brigadeiro Eduardo Gomes, na zona Leste da cidade, distante três quilômetros do Centro.

Sua pista tem 1,7 mil metros de comprimento por 35 de largura e companhia aérea que opera no local é a Azul. Outras atividades comerciais, segundo o Daesp, são o aeroclube, hangar e combustível.

O aeroporto Frank Miloye Milenkovich está entre os principais sob gestão do Daesp, mas fica bem atrás no número de passageiros na comparação com Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, Presidente Prudente, Bauru/Arealva e Araçatuba.

Entre janeiro e novembro (último mês com dados disponíveis) de 2018 o aeroporto de Marília registrou embarques e desembarques de 61.240 passageiros, 6.554 pousos e decolagens de aeronaves e mais de 427 toneladas de embarque e desembarque de carga.

Por outro lado, o secretário de Administração de Marília, Cássio Pinto, explica que em Marília existe uma demanda muito maior de passageiros do que os dados oficiais podem mostrar. “Muitos marilienses e moradores de cidades da Região acabam utilizando os aeroportos de outras cidades, como Bauru e Rio Preto”, comenta.

O problema seria a operação de apenas uma companhia aérea na cidade e com poucos destinos e horários de voos. “Nosso aeroporto não tem a infraestrutura adequada, mas com a reforma que está prevista haverá uma ampliação importante que permitirá um número maior de companhias em Marília”, afirma Cássio.

“Podemos dizer que os números referentes a Marília estão subestimados”, completa o secretário.