Desde 2014, mais de 71000 artigos.
,/2022

Demanda no Hospital Oncológico da Unimar cresce 180%

Cidade
02 de agosto de 2022

Hospital Oncológico da Unimar completa um ano nesta terça-feira (Foto: Divulgação)

Completando um ano de funcionamento, o Hospital Oncológico da Unimar (HOU) aponta aumento na demanda de atendimento, na ordem de 180%. Com a chegada dos equipamentos de radioterapia e o pet scan, prevista para o final de 2022, o acesso aos tratamentos será ampliado.

Nesta terça-feira (2), o HOU completa o primeiro ano de atividades em Marília. Inaugurada em 2 de agosto de 2021, a instituição aguarda o trâmite dos pedidos de credenciamento ao Sistema Único de Saúde (SUS), para ampliar o atendimento à população em geral.

O diretor do HOU, Sérgio Luís Afonso (Foto: Arquivo/Marília Notícia)

Até que isso aconteça, o hospital vem atendendo pacientes conveniados ou particulares. Segundo o médico oncologista e diretor do HOU, Sérgio Luis Afonso, o hospital trouxe mais facilidade e tranquilidade aos pacientes da região. “E consequentemente, maior aderência ao tratamento, com um melhor resultado”, explica.

Afonso destaca ainda que o feedback dos usuários aponta que a qualidade e o conforto oferecidos pelo Hospital Oncológico de Marília agradou a todos.

Com isso, houve um aumento de 180% nos atendimentos da oncologia nestes 12 meses de funcionamento do hospital. “Isso se deve, entre outras coisas, a estrutura disponível, o atendimento humanizado e também as inovações como a toca térmica, que ajuda a diminuir a chance de perda de cabelo durante a quimioterapia”, explica.

Instalações do Hospital Oncológico da Unimar (Foto: Arquivo/Marília Notícia)

E como novidade associada à unidade de oncologia, é preciso destacar a implantação da medicina integrativa, por meio do Núcleo Ampliado de Cuidado (NAC), que oferece práticas como Acupuntura, Aromaterapia, Auriculoterapia, Constelação Sistêmica Familiar, Escalda Pé, Focalização do Relacionamento Interior, Hipnose Ericksoniana, Jardim Terapêutico, Massoterapia, Maxoterapia, Reflexologia Podal, Reiki e Ventosa.

Estas atividades estão sob a responsabilidade da médica Maria Elizabeth Correa e conta com a atuação do farmacêutico Alceu Alves, do biomédico Eduardo M. Silva e da terapeuta Fhatsue Hino.

“Com os cuidados paliativos, podemos oferecer melhor qualidade de atendimento aos usuários, sendo que a aceitabilidade ao novo serviço tem superado nossas expectativas”, afirma Sérgio Afonso.

Obras para construção da quinta torre seguem em ritmo acelerado (Foto: Divulgação)

QUINTA TORRE

A presidente da Associação Beneficente Hospital Universitário (ABHU), mantenedora do Hospital Oncológico Unimar, Márcia Mesquita Serva Reis, destaca que as obras para conclusão a quinta torre, que vão abrigar os aparelhos de radioterapia e pet scan seguem em ritmo acelerado.

A previsão de conclusão do prédio e instalação dos aparelhos é até o final de 2022, sendo que o atraso no cronograma se deve aos fatores internacionais, como a guerra da Ucrânia. “Ninguém esperava que o conflito entre a Rússia e a Ucrânia poderia afetar a entrega dos nossos equipamentos. Mas estamos otimistas e com a garantia de que eles estarão instalados até final do semestre”, aponta Márcia.

Com a chegada e instalação dos aparelhos, o Hospital Oncológico Unimar vai atingir um outro estágio de atendimento, ampliando o leque para atender a população. “Com os aparelhos, poderemos inclusive ajudar a reduzir a fila de espera por tratamentos, até que o credenciamento para atendimento via Sistema Único de Saúde (SUS) seja oficializado”, pontua Márcia.

Novo prédio vai abrigar aparelhos de radioterapia e pet scan (Foto: Divulgação)

Tanto Sérgio Afonso quanto Márcia Serva entendem que a instalação dos aparelhos vai ser um grande presente para Marília e região. “Com os equipamentos, Marília entrará em um novo estágio de atendimento aos pacientes com câncer da cidade e da região. A fila de espera poderá ser reduzida e o acesso a esse tratamento, que só é encontrado em centros distantes de Marília, estará mais próximo de todos”, aponta Márcia.

“Sem dúvida alguma o início do atendimento com estes aparelhos vai ajudar a reduzir as filas de espera, permitindo maior atendimento às pessoas. As estatísticas apontam que várias pessoas deixaram de fazer o tratamento, devido a pandemia de covid-19 e estaremos prontos para atender quem precisar”, conclui Sérgio Afonso.