Desde 2014, mais de 52000 artigos.
,/2020

Sujeira não se limpa só com água e sabão; sujeira se limpa com o voto

Coluna
13 de novembro de 2020

“Torne a mentira grande, simplifique-a, continue afirmando-a, e eventualmente todos acreditarão nela”. Parece que estamos falando da eleição em Marília, não é mesmo? Mas não, essa famosa frase é de Adolf Hitler, um gênio do mal.

Guardadas as devidas proporções, a análise cai muito bem no que vive a cidade a dias de uma eleição fundamental para o destino do município.

Neste domingo, dia 15 de novembro, Marília decide seu futuro, de esperança ou de lama. A lama da corrupção.

Decide principalmente que tipo de cidade quer ser. As urnas colocam nossa população em xeque: você mariliense, é cúmplice da corrupção?

A corrupção por aqui, todos nós sabemos, se personifica em um político com cerca de 700 processos. Um político acusado de desviar dezenas de milhões de reais dos cofres públicos ao longo de 40 anos.

Você, que ama essa cidade, será fiador de um homem que tem a mentira como base moral da sua vida pública? Que usa todos os meios para atacar e agredir homens e mulheres de honra que lutam pela cidade? Um corrupto notório? Alguém que afirma que com 12 mil reais não se vive?

Um condenado por desviar nosso dinheiro? Um ficha suja?

Um homem que é acusado de desviar dinheiro da merenda de crianças. Comida de crianças inocentes!

Você mariliense, conseguiria olhar nos olhos do seu filho ao apoiar a corrupção? Andará de cabeça erguida nas ruas da cidade?

Não existe democracia onde impera a corrupção, a injustiça, a mentira e a hipocrisia.

Ao longo da campanha me veio a nítida sensação de que é mais fácil enganar as pessoas do que convencê-las de que elas foram enganadas.

Como é difícil fazer as pessoas enxergarem quem são os responsáveis pelas mazelas da nossa terra tão amada!

As pessoas me falam, “Gabriel, abaixa o ímpeto um pouco, pode ser perigoso para você”. A minha resposta é que talvez só o excesso do fanatismo pela honestidade possa, no meio da imoralidade, servir de escudo à nossa querida Marília.

Marília que a corrupção tenta desvirtuar de seu lema: amor e liberdade

O político em questão para mim é uma pessoa com tendência patológica, fora do comum, para mentir; uma compulsão pelo poder que nunca se viu, uma sede de dominar as pessoas. Vive de sua aptidão para narrar ou contar eventos imaginários ou que nunca aconteceram realmente.

Vive politicamente da exploração e miséria alheia. Vive politicamente da maldade, corrupção, ganância, truculência, impunidade.

A jornada trilhada por sua coligação se mostra um show de desinformação e mentiras. O tempo todo.

O ego dele é tão grande que mesmo com sua candidatura barrada pela Justiça, engana a população, dizendo que será prefeito.

Leva Marília para a insegurança jurídica a depender do resultado da eleição. Mesmo se tiver votos suficientes, não terá seus votos válidos hora que as urnas fecharem. Vai brigar na Justiça. Deixará a cidade à beira do caos. Levará a disputa pelo poder aos tribunais.

Como um cidadão desse terá tempo para governar a cidade? Sua energia será inevitavelmente toda dispensada para se livrar das garras da Justiça.

Ele e seu batalhão de advogados terão muito trabalho pela frente se o pior acontecer. Marília ficará em segundo plano, o que importa é o poder.

É impossível acreditar no que o ex-prefeito e seus correligionários dizem. Mentem sobre as Casas do Pequeno Cidadão, mentem sobre a Amélie Boudet, mentem sobre o Educandário, mentem sobre a questão da água, mentem sobre feitos passados, mentem sobre a educação, mentem sobre os processos, mentem sobre os outros candidatos, mentem sobre a imprensa, mentem sobre a corrupção, mentem sobre a merenda.

Mentira, mentira, mentira. Mentira o tempo inteiro.

Ao longo dos anos, muitos políticos dominaram a arte de enganar o povo, mas ninguém se compara ao símbolo da impunidade, um engenheiro do caos legítimo. Fake news? Ele já fazia isso na década de 80.

Em peças de propaganda da campanha e nas redes sociais, o ex-prefeito afirma que o Marília Notícia não publica supostas irregularidades da atual gestão municipal por estar “vendido” para o atual prefeito, Daniel Alonso, candidato à reeleição.

Mentira. Nós provamos isso na Justiça. Na Justiça! Deu para entender?

A Justiça local tem feito seu papel. Os responsáveis pelo respeito às leis, juiz Luis César Bertoncini  e juíza Ângela Martinez Heinrich, merecem, inclusive uma citação pelos excelentes serviços prestados para sociedade. Estendo também os parabéns para todos os servidores da Justiça eleitoral, que garantem nossa nossa escolha no dia 15.

O Marília Notícia nunca deixou de questionar e se posicionar criticamente contra a atual administração. Está lá, para quem quiser ver. Foram mais de 60 matérias negativas para o candidato em um período de apenas três meses. Meses próximos da eleição.

O Marília Notícia foi o único veículo de comunicação que recusou verbas públicas em 2020. Todas as contas de outros anos foram abertas e mostradas para a população. Tudo ao alcance de um clique para checar. Me diga, quem fez isso além da gente?

Eu desafio qualquer pessoa nessa cidade a sentar comigo e provar o que diz. Venha aqui, no meu apartamento de 55 metros quadrados no Fragata, ver a ‘fortuna’ que ganho. Fale por favor olhando nos meus olhos.

São apenas palavras jogadas ao vento, por pessoas tolas e que vendem a alma, entrando em campanha difamatória encabeçada por Camarinha. Hoje o Marília Notícia é respeitado por pessoas honestas e de bem nessa cidade.

Atualmente são mais de 40 contratos de publicidade de empresas formadas por homens e mulheres batalhadores, que suam no dia a dia para colocar o pão na mesa. São essas pessoas que anunciam seus negócios no MN. É disso que eu vivo.

Cheguei a ser ameaçado. Expus a situação para que a cidade toda saiba que se algo acontecer comigo e com as pessoas que amo, já sabemos quem foi o responsável.

É óbvio que as matérias são mais duras quando se tratam de Abelardo. Os assuntos sempre invocam a podridão da política brasileira, não teria como ser diferente.

Pode espernear, pode falar ‘ai já está chato’, ‘ai vocês perseguem’, ‘ai tem que ser imparcial’. Imparcialidade significa o que? Negar os crimes de Abelardo? Silenciar sobre as mentiras? Não noticiar suas condenações? Não falar que ele desviou dinheiro público?

Eu nunca escondi de absolutamente ninguém que o MN não compactua e não vai compactuar com essa política nefasta promovida pelo ex-deputado. E se alguém se aproximar de praticar algo parecido, terá a implacável fiscalização do jornal.

Nossa bandeira é sim a luta contra a corrupção. Vamos continuar mostrando tudo, seja de Camarinha, seja de quem for. Doa a quem doer.

Me diga, do que adianta xingar o PT, xingar Bolsonaro, falar de corrupção no Brasil e esbravejar que o país não tem jeito, para logo em seguida fechar os olhos quando a coisa acontece aqui no nosso quintal?

E veja bem, não se trata de votar em candidato A ou B. Os outros concorrentes merecem sim passar pelo duro escrutínio da população. Faça sua escolha.

Alguns me dizem: “Mas todos são corruptos”. Epa, pera lá. Eu não sou. Meu pai não é, minha mãe não é, minha irmã não é, minha mulher não é, meus amigos não são. Todos os candidatos, tirando Abelardo Camarinha, são ficha limpa até que se prove o contrário.

Todos temos defeitos sim. Mas não admitimos a corrupção.

Eu não admito, minha esperança é imortal. Eu repito, ouviram? Imortal! Sei que não dá para mudar o começo, não dá mais para voltar 40 anos no tempo e saber o que esse homem se tornaria, mas, se a gente quiser, vai dar para mudar o final! Juntos somos mais fortes.

‘Deizão’ não pode comprar nossa dignidade.

Corrupção e enganação sempre resumiram esta nação. Não é hora do basta de vez ao menos em Marília?

Sujeira não se limpa só com água e sabão. Sujeira se limpa com o voto.