Desde 2014, mais de 62000 artigos.
,/2021

Cálculos renais? Saiba qual pode ser a causa

Coluna
13 de maio de 2021

Dr. Levy Figueiredo é médico-cirurgião especialista em cabeça e pescoço (Foto: Carlos Rodrigues/Marília Notícia)

A bem da verdade é que a maioria dos problemas diagnosticados no corpo humano pode ser causada por problemas aleatórios às próprias doenças. Dentre elas, o cálculo renal, por exemplo.

A maior parte das pessoas não sabe, mas a causa para os cálculos em demasia pode estar escondida no pescoço. Loucura? De jeito nenhum.

Pacientes diagnosticados com hiperparatireoidismo podem desenvolver alterações renais, que têm como sintomas cálculos de repetição, acúmulo excessivo de cálcio nos rins e insuficiência renal.

As paratireoides são quatro glândulas endócrinas que se localizam posteriormente à tireoide. Elas produzem o paratormônio (PTH), hormônio que regula a concentração de cálcio no sangue.

Além dos problemas renais, a produção em demasia deste hormônio pode causar alterações ósseas, como dor, deformidade no esqueleto, redução de estatura, fraturas patológicas, perda de massa óssea e tumor marrom.

Os sintomas que ajudam a identificar a disfunção destas glândulas são:

  • fadiga e fraqueza generalizada;
  • atrofia muscular;
  • aumento dos reflexos neurológicos;
  • distúrbios da marcha (queda para trás e movimento reduzido dos braços);
  • depressão;
  • hipo ou anorexia;
  • constipação intestinal.

Além disso, o paciente também pode apresentar manifestações reumatológicas, como:

  • ácido úrico no sangue;
  • gota, pseudo-gota;
  • dor conjunta.

Das manifestações cardíacas:

  • aumento do trabalho cardíaco.

Já o hipoparatireoidismo, que é a produção deficitária por parte das paratireoides, é mais comum e é adquirida quase sempre por consequência inadvertida de cirurgia, além de outras causas.

As principais manifestações clínicas da deficiência são:

  • alterações do estado mental, que incluem instabilidade emocional, ansiedade e depressão, estresse confusional, alucinações e psicose franca;
  • deformações do tamanho do crânio e da cabeça;
  • distúrbios de movimentos semelhantes à doença de Parkinson;
  • doença ocular, com calcificação das lentes e formação de catarata;
  • manifestações cardiovasculares;
  • anormalidades dentárias.

Além destas duas possibilidades há também o chamado hipoparatireoidismo “não real”, que é o pseudo-hipoparatireoidismo, causado em decorrência de um defeito congênito.

Em todos os casos, as alterações destas glândulas geralmente acometem pessoas com mais de 50 anos. Contudo, não é regra e as doenças podem aparecer em pacientes com menos idade.

Lembre-se: procure sempre o profissional apropriado para o diagnóstico e tratamento médico. Até a próxima!

Informações podem ser obtidas no CIOF do Hospital Beneficente Unimar, através dos telefones (14) 3306-2979 e (14) 2105-4697.

*

Dr. Levy Figueiredo é médico-cirurgião especialista em cabeça e pescoço (CRM-SP 156210)