Desde 2014, mais de 71000 artigos.
,/2022

Ambulatório da Santa Casa será paralisado em protesto

Cidade
20 de setembro de 2014

prot2Em adesão ao movimento que denuncia o financiamento insuficiente da saúde na esfera federal, a Santa Casa de Marília irá paralisar nesta quinta-feira (25) o atendimento eletivo no ambulatório de especialidades.

O protesto foi convocado pelos participantes do 24º Congresso Nacional das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos, durante manifestação em frente ao Palácio do Planalto. A iniciativa conta com o apoio da CMB (Confederação das Santas Casas, Hospitais e Entidades Filantrópicas) e Fehosp (Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes do Estado de São Paulo).

O provedor da instituição de Marília e diretor administrativo-financeiro da Fehosp, Milton Tédde, lembra que o setor sofre há tempos com o subfinanciamento. “A cada R$ 100 dos custos reais dos procedimentos, o SUS (Sistema Único de Saúde) paga apenas R$ 60. O déficit é o grande problema. A situação é complicada no país inteiro e não há gestão eficiente que consiga fazer a conta fechar”, disse o administrador hospitalar.

Solidária ao movimento, a instituição fez o reagendamento dos procedimentos eletivos (não urgentes) que estavam marcados para o dia 25 de setembro. Entre consultas e exames, serão pelo menos 102 atendimentos adiados. A coordenadora de negócios da Santa Casa, Márcia Mota, afirma que todos serão avisados com antecedência e as novas datas definidas de forma imediata.

“Em nenhum destes casos, o adiamento irá acarretar em complicação à saúde ou prejuízo ao tratamento do paciente. Houve um levantamento criterioso por nossa equipe e apesar dos transtornos que isso pode representar, a nossa participação no movimento visa atender uma necessidade da própria população brasileira, que precisa de forma definitiva da saúde filantrópica com mais recursos”, disse Márcia.