Desde 2014, mais de 71000 artigos.
,/2022

Acusado de causar acidente na contramão é preso pela PM

Polícia
20 de junho de 2022

Um homem identificado como Egídio Elias Netto de 43 anos foi preso por embriaguez ao volante no sábado (18), no Jardim Monte Castelo, zona Sul de Marília.

A Polícia Militar foi acionada às 19h17, para atender a um acidente de trânsito sem vítima na rua Domingos Jorge Velho, onde uma das partes aparentava estar sob efeito de álcool.

No local, os policiais constataram que um Ford Escort e um Chevrolet Classic tinham batido de frente, sendo que o primeiro veículo estava na contramão.

Dentro do Escort estava Netto, que dormia no banco do motorista. O condutor do Classic relatou que dirigia pela via, no sentido bairro ao Centro, quando o Ford – que transitava no sentido oposto – invadiu a contramão e causou a batida.

Os militares acordaram o acusado, que apresentava sinais de embriaguez, como forte odor etílico, olhos avermelhados, fala desconexa e falta de equilíbrio. Questionado, preferiu não se manifestar.

O homem se recusou a passar pelo teste do bafômetro e foi conduzido até a Central de Polícia Judiciária (CPJ), onde passou pelo exame clínico com a médica legista que constatou a embriaguez, com alteração da capacidade psicomotora.

O delegado plantonista arbitrou fiança de R$ 1,2 mil. Como o valor não foi apresentado, o acusado passaria por audiência de custódia. O carro de Netto foi apreendido administrativamente.

FERIADO

Na quinta-feira (16) foi preso Marcelo da Silva Loiola de 30 anos por embriaguez ao volante, no Toffoli, zona Sul de Marília. O caso só foi divulgado nesta segunda-feira (20).

A PM fazia patrulhamento, às 20h, quando notou um veículo em alta velocidade pela Via Expressa, no sentido Centro ao bairro.

Os policiais iniciaram o acompanhamento e deram sinal de parada ao carro, que saiu da Via Expressa e entrou no bairro em ziguezague.

O automóvel parou na rua Arlindo Jota e o condutor foi identificado como Loiola, que apresentava sinais de embriaguez.

O acusado confirmou que tinha tomado sete cervejas e o teste do bafômetro apontou 0,87 miligramas de álcool por litro de ar expelido dos pulmões.

Em consulta ao emplacamento do veículo, os PMs observaram que não era compatível com o modelo e características registrados. As placas tinham sido adulteradas com sobreposição de fitas.

Questionado, o homem afirmou que não sabia nada sobre, e tinha comprado o carro de um terceiro há cerca de um mês com as placas como estavam.

O acusado foi encaminhado até a Central de Polícia Judiciária (CPJ), onde o delegado arbitrou fiança de R$ 1,2 mil. Como o valor foi pago, Loiola vai responder em liberdade. O carro foi apreendido.

Sobre a adulteração de sinal identificador de veículo automotor, a polícia segue investigando já que não havia indícios suficientes para indiciar o condutor.