Desde 2014, mais de 43000 artigos.
,/2020

Ordem para construção de Ecopontos demora sete meses para sair

Cidade
13 de fevereiro de 2020

Sem área para descarte correto, população despeja entulho e outros materiais em qualquer lugar (Foto: Leonardo Moreno/Marília Notícia)

A Prefeitura de Marília homologou as quatro licitações para construção de Ecopontos pela cidade em julho de 2019, mas só deu a ordem de serviço para início das obras nesta quinta-feira (13), quase sete meses depois e em pleno ano eleitoral.

Após a ordem de serviço, o prazo para entrega das obras é de 270 dias, ou seja, nove meses. As empresas que venceram as licitações são a Replan Saneamento e Obras Ltda e a Bianchini Engenharia e Construções ME.

Cada uma levou dois certames. A Replan havia dado o melhor lance em todas as quatro licitações, mas a Bianchini Engenharia utilizou o chamado direito de preferência por ser uma microempresa.

Cada uma das licitações vencidas pela Replan custarão R$ 110.199,73. Já os certames em que a Bianchini foi campeã terão o custo R$ 109.207,27. Ao todo os ecopontos custarão R$438.814,00.

Após questionamento da reportagem, a administração municipal informou que “não deu inicio à construção porque aguardava a autorização da CETESB (certidão emitida em 14/01) e também o repasse de verbas do Estado para inicio das obras”.

Prefeitura já levou diversas multas da Cetesb (Foto: Leonardo Moreno/Marília Notícia)

Entenda

Ecopontos são áreas para descarte de entulho e materiais inservíveis volumosos e há anos a cidade está sem esse tipo de dispositivo.

A administração municipal tentou realizar as licitações em outras ocasiões, mas não deu certo.

O Marília Notícia vem cobrando a construção desse tipo de dispositivo desde o governo passado.

As consequências da falta de Ecopontos são resíduos da construção civil, móveis velhos e até eletrodomésticos abandonados em diferentes pontos do município. Situações que aparecem frequentemente no noticiário produzido pelo site.

A Prefeitura inclusive já levou diversas multas por conta da falta de local adequado para o descarte desse tipo de material.

Problema de descarte irregular pode ser encontrado por toda a cidade (Foto: Leonardo Moreno/Marília Notícia)