Desde 2014, mais de 62000 artigos.
,/2021

Totens da Zona Azul apresentam problema e geram insegurança

Cidade
14 de setembro de 2021

Problema envolveria especificamente a utilização dos parquímetros (Foto: Divulgação)

Nos últimos dias têm surgido em Marília relatos sobre problemas envolvendo o funcionamento da Zona Azul, gerida pela empresa Rizzo Park. A cobrança do estacionamento rotativo passou a ser obrigatória há quase um mês, no dia 15 de agosto.

“Na semana passada parei o carro na rua Nove de Julho, em frente à loja Renner e acionei o parquímetro por duas horas. Ao retornar para o carro, notei que o agente estava anotando algo na maquineta”, diz um relato obtido pelo Marília Notícia.

Segundo o mariliense, o fiscal da Rizzo Park alegou que o tempo de estacionamento havia expirado, e seria aplicada uma multa.

“Eu conversei com ele e disse que, pelo contrário, eu nem havia consumido todo o tempo. O agente então me mostrou na maquineta dele e lá constava a placa do meu carro e o status ‘vencido’”, conta o usuário da Zona Azul.

“O problema é que ele afirma ter aberto o aplicativo da empresa, onde ainda constavam 44 minutos em haver. Eu poderia deixar o carro por mais 44 minutos”, afirma o motorista.

Em seguida, o agente de trânsito teria pedido desculpas e alegado que “foi uma falha no sistema e que isso está acontecendo mesmo”.

“Se eu chegasse 15 segundos depois, eu levaria uma multa sem dever levá-la”, completa. “Hoje, não sinto segurança em parar na rua e usar parquímetro, pois sou prova da falha. Creio que seja preferível pagar um estacionamento a correr o risco”.

Em outro relato obtido pela reportagem, um cidadão conta que “aconteceu a mesma coisa comigo. Fui resolver ali do lado do teatro [municipal]. Uma patifaria tudo isso!”, reclama o mariliense, ao citar o endereço da sede da Rizzo Park, na avenida Rio Branco, Centro de Marília.

OUTRO LADO

Em nota, a Rizzo Park informa que há algumas variáveis para que isso aconteça. “De todas as formas, não temos como identificar o caso especifico tratado na matéria. Mas é possível erro de digitação, tanto quanto do usuário como do monitor. É possível também que a irregularidade que o usuário estaria recebendo fosse por tempo excedido na vaga ou por estar fora da vaga. É possível também que o parquímetro tenha emitido o ticket no momento de algum defeito na comunicação, o que permitirá a falha de informações. Ou seja, cada caso, pode acabar sendo bem especifico”, explica.

A empresa reafirma que “não emitimos multas, emitimos um aviso de irregularidade que permite que a população se regularize antes que vire multa. Por garantia, tomamos algumas medidas para garantir que não haja erro do sistema, enviamos nosso técnico a todos parquímetros para conferir a integridade de comunicação de todos eles. Dois deles apresentaram problemas, porém não de comunicação. Também repassamos os treinamentos com os monitores, para conferir os dados da placa antes de confirmar qualquer coisa a qualquer usuário.”

A Rizzo pontua que “como parte de nosso trabalho depende de ação humana, também arcamos com a possibilidade de erro, ainda mais vindo de uma equipe nova que ainda está recebendo treinamentos. De todas as formas, gostaria de deixar nosso pedido de desculpa, por todo esse transtorno. Estamos trabalhando muito para construir a melhor experiência possível no uso do rotativo e, acredite em nós, estamos dando nosso máximo para aperfeiçoar tudo o mais breve”, conclui.