Desde 2014, mais de 71000 artigos.
,/2022

Reconstituição de crime em motel ocorre nesta 5ª

Polícia
04 de maio de 2022

O coronel da reserva Dhaubian Braga Barbosa, de 57 anos, deve voltar a Marília nesta quinta-feira (5) para participar de uma nova reconstituição do crime que culminou na morte do ajudante Daniel Ricardo da Silva, 37.

Amanhã, o militar e a ex-companheira devem participar da simulação orquestrada pela Polícia Civil nas instalações do motel que pertence ao acusado, onde crime foi registrado.

A nova reconstituição atende pedido da defesa de Dhaubian e, por ocorrer em propriedade particular, não deve contar com a presença de espectadores ou imprensa.

Vale lembrar que o coronel segue preso no presídio Romão Gomes, em São Paulo.

JUSTIÇA

Apesar de acatar o pedido da defesa para a realização de nova simulação, o juiz Paulo Gustavo Ferrari, da 2ª Vara Criminal, nega diversas outras solicitações.

Em despacho assinado nesta terça-feira (3), o magistrado considera desnecessário o pedido para mudança do horário e outras questões relativas às vestimentas do réu e horário de almoço. Ferrari também não concordou com uso de arma específica no ato.

Em contrapartida, o juiz acolhe outras solicitações como o encaminhamento das oitivas das testemunhas e do interrogatório do réu realizados em juízo ao perito e o pedido de explicação quanto ao aparelho DVR apreendido pela Polícia Civil. Defesa quer cópia das imagens.

No despacho, a Vara Criminar cobra fotografias originais colhidas na perícia à defesa, busca e apreensão do celular da ex-mulher de Dhaubian e outros.

Dhaubian é acusado de homicídio qualificado por motivo fútil e impossibilidade de defesa da vítima. O militar está sujeito à sentença de pronúncia – da qual pode recorrer.

Se houver decisão por indício e materialidade do crime, confirmados em segunda instância, o rito manda que o acusado seja submetido a júri popular.