Desde 2014, mais de 29000 artigos.
,/2018

Daniel corta merenda de crianças, diz entidade

Cidade
06 de setembro de 2017

Crianças atendidas pelo programa que tem futuro incerto (Foto: Divulgação)

Desde o mês de junho 150 crianças e adolescentes atendidos pelo programa Juventude Criativa em Marília estão se alimentando quase que exclusivamente apenas com doações da sociedade civil, já que a Prefeitura praticamente deixou de enviar alimentos.

A informação é do vice-presidente da entidade, Bruno Doretto Munhoz, em entrevista ao Marília Notícia. De acordo com ele, existe um imbróglio na administração municipal sobre a responsabilidade da manutenção do convênio com a Juventude Católica.

“Eles não sabem se ficará com a Secretaria da Educação ou com a Assistência Social. Além da merenda, também vão tirar os funcionários emprestados para nós”, afirma Bruno.

São seis professores e quatro funcionários do município alocados no programa. A Juventude Criativa oferece atividades no contra turno escolar – ou seja, nos horários contrários aos que as crianças e adolescentes estão na escola.

São aulas de informática, coral, teatro e atendimento psicológico. Trata-se do mais antigo programa social em atividade no município, com 75 anos de atendimento. Antes, o nome da entidade era Juventude Católica, mas houve reformulação.

As crianças atendidas são principalmente da zona Sul de Marília, que fazem parte da rede municipal de ensino e não têm acesso a escolas de tempo integral. As atividades impedem que as crianças fiquem nas ruas e permite que os pais possam trabalhar.

“Vai dificultar. Já está complicado sem a merenda e sem os funcionários vai dificultar ainda mais. Não temos recursos próprios para manter. São 150 crianças”, frisa o vice-presidente.

Bruno explica que os custos chegam a R$ 20 mil mensais, que são cobertos com o aluguel de um prédio próprio para o município e doações da Nota Fiscal Paulista. Sem a ajuda da Prefeitura, as despesas devem alcançar a inviável cifra de R$ 90 mil.

“Tivemos uma reunião com o secretário Beto, da Educação, e a Wania, da Assistência, no final de junho. Eles pediram um prazo para resolver, mas já venceu”, comenta o vice.

Outro lado

A assessoria de imprensa da administração municipal foi procurada pela reportagem para comentar o assunto.

Após repercussão negativa, a Prefeitura rebateu a informação de que a merenda das crianças será cortada e acusou a diretoria da Juventude Criativa de não fornecer plano exigido por lei. Veja a resposta completa clicando aqui.