Desde 2014, mais de 69000 artigos.
,/2022

PM identifica menor como autor de ameaça em escola

Polícia
10 de maio de 2022

Polícia Militar vistoriou escola (Foto: Carlos Rodrigues /Marília Notícia)

Um adolescente de 16 anos foi identificado pela Polícia Militar como o acusado pela ameaça que gerou alerta na escola estadual Lourenço Senne, localizada no bairro Polon, zona Oeste de Marília. O caso foi registrado nesta segunda-feira (9).

De acordo com as informações apuradas pelo Marília Notícia, os policiais foram acionados às 13h, com informação de ameaça com arma de fogo. No local, uma funcionária contou que um casal chegou no portão da escola pedindo para buscar um aluno, mas a dupla não foi autorizada a entrar pelo porteiro.

Os dois, então, teriam dado a volta e, no estacionamento de um supermercado vizinho, subiram no muro e passaram a ameaçar os adolescentes que estavam no horário de almoço.

A mulher acompanhava os alunos e viu quando o casal passou a fazer as ameaças de que dariam tiro na boca dos menores. Apesar de a funcionária não ter visto nenhuma arma com a dupla, os alunos informaram que tinham identificado um revólver preto – semelhante ao dos policiais – na mão do homem.

Imagens capturadas pelas câmeras de monitoramento da escola e do supermercado flagraram os acusados. Na gravação é possível ver que o rapaz caminha com a mão na cintura, aparentemente segurando algo, mas não dá para identificar o objeto.

Em posse das características do autor das ameaças, a PM abordou o adolescente de 16 anos na avenida Santo Antônio, por volta das 17h20. Ele caminhava na companhia de outro jovem da mesma idade.

Questionado, o menor confessou que tinha ido até a escola na companhia da irmã, de 12 anos. Ele contou que tinha discutido com alguns alunos no local e que estava em posse de uma faca, não arma.

Ainda aos policiais, o acusado disse que naquele momento estava retornando para a escola – na companhia do amigo – para matar as pessoas com quem tinha discutido. O outro amigo afirmou que ia ajudá-lo. Eles estava com um celular que foi apreendido para averiguação.

Os dois foram encaminhados até a Central de Polícia Judiciária (CPJ), prestaram esclarecimentos e foram liberados para um maior responsável. Nada de ilícito foi localizado com eles.

Dois adolescentes de 13 anos figuram como vítimas na ocorrência. Um boletim de ameaça, falso alarme e apreensão de objeto foi elaborado.

Estacionamento faz fundo com quadra de escola (Foto: Carlos Rodrigues/Marília Notícia)