Desde 2014, mais de 65000 artigos.
,/2022

Marília recebe cabine de biossegurança para exames

Cidade
24 de novembro de 2021

Cabine está instalada na zona Sul (Foto: Julio Cesar de Carlis)

A Prefeitura de Marília, por meio da Secretaria Municipal da Saúde, informa que o município recebe desde ontem -até 10 de dezembro – a cabine de biossegurança para a realização de exames de espirometria, que auxiliam no diagnóstico preciso de doenças pulmonares crônicas.

A ação é uma parceria da Boehringer Ingelheim, Secretaria Municipal da Saúde de Marília e ocorrerá no Polo Emergencial Covid, ao lado da UBS Nova Marília, na zona Sul da cidade.

Desde o início da pandemia, em função do alto risco de contágio por Covid-19, essa avaliação passou a ser recomendada apenas em casos extremamente necessários, atrasando o diagnóstico de doenças como asma e Doenças Pulmonares Obstrutivas Crônicas (DPOC).

A cabine de biossegurança, projetada pela Boehringer Ingelheim, tem como objetivo criar uma proteção extra para todos os envolvidos no processo do exame.

A máquina é equipada de tecnologia de alta performance com dois filtros (HEPA e Ulpa), que permitem eliminar 99,9% de vírus e bactérias, purificando assim todo o ar que entra e sai da cabine em apenas um minuto.

“A espirometria é um exame em que o paciente assopra em um aparelho para medir a sua capacidade e a função pulmonar, podendo disseminar aerossóis -. contendo micro-organismos tais como bactérias e o coronavírus Sars-CoV-2 (causador da Covid-19). A cabine é completamente fechada e o isolamento e a filtragem do ar reduzem o risco de contaminação para técnicos, médicos e demais pacientes”, explica o especialista em pneumologia e tisiologia Marcelo Gervilla Gregório, um dos responsáveis pelo projeto, em parceria com a Boehringer Ingelheim.

A solução chega como uma alternativa portátil para reduzir a fila de pessoas já cadastradas no Sistema Único de Saúde elegíveis para a realização do teste e auxiliar no diagnóstico e avaliação da sequela pulmonar pós-Covid 19.

O secretário municipal da Saúde, Cassio Luiz Pinto Júnior, a expectativa é realizar no mínimo 1.200 exames até o final do contrato. “Nesta primeira estada do técnico, ele vai trabalhar três semanas direto e tem potencial para realizar 50 exames por semana. Em 2022, o técnico vai trabalhar, pelo menos, uma semana por mês em Marília, podendo trabalhar até duas semanas. No geral, o contrato tem duração de 24 meses e o nosso objetivo é fazer no mínimo 1.200 exames nesse período.”

O exame será agendando pela unidade de saúde para quem tiver solicitação de espirometria pelo médico – na unidade será o pedido do médico da própria unidade, sendo que na secretaria há alguns pedidos de especialista. No total, serão 161 vagas de espirometria entre os dias 23 de novembro e 10 de dezembro.

Indicações para espirometria:

● rastreio de DPOC em tabagistas com mais de 40 anos;
● tabagista com queixas respiratórias independente da idade;
● pré-operatório de cirurgia de ressecção pulmonar;
● identificação do acometimento pulmonar em doenças sistêmicas;
● avaliação dos efeitos de exposição ambiental ou ocupacional da
função respiratória;
● obesidade;
● investigação diagnóstica em caso de dispnéia há um
mês ou mais, e/ou tosse há dois meses ou mais;
● suspeita de Asma;
● manejo e estadiamento da asma;
● suspeita de DPOC (sintomas persistentes dispnéia,
escarro, tosse crônica associado a fatores de risco tabagismo ativo ou
passivo, ocupação, exposição a poluição);
● manejo e estadiamento da DPOC (indicado
realização anual para acompanhamento)
● persistência sintomas respiratórios no pós-Covid.

DPOC

A doença pulmonar obstrutiva crônica é uma condição progressiva e séria que limita o fluxo de ar nos pulmões e afeta a qualidade de vida dos pacientes, por produzir sintomas como tosse crônica, expectoração e falta de ar, que muitas vezes impedem a realização de atividades básicas do dia a dia.

No Brasil, quatro brasileiros morrem por hora, 96 por dia e 40 mil todos os anos em decorrência da DPOC. O tabagismo é o principal fator de risco para a doença, seguido de exposição ocupacional e ambiental envolvendo vapores químicos, poeira e outras partículas que provocam irritação pulmonar.

Quer receber notícias no seu WhatsApp? Clique aqui!  Estamos no Telegram também, entre aqui.