Desde 2014, mais de 63000 artigos.
,/2021

Idoso de 86 anos é detido em operação contra pedofilia

Polícia
13 de outubro de 2021

Equipamentos apreendidos em poder do idoso (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

A Polícia Civil de Marília confirmou, na tarde desta quarta-feira (13), saldo da operação que cumpriu dois mandados judiciais de busca e apreensão na Operação Querubim II, visando combate a exploração sexual de crianças e adolescentes. Um idoso de 86 anos foi preso por pedofilia, mas acabou liberado.

O ancião, morador no bairro Fragata, foi alvo de um dos mandados expedidos pelo Fórum de Marília. A busca foi feita pela manhã, por equipe da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM).

O idoso recebeu voz de prisão por armazenar, no celular, imagens e um vídeo de pornografia envolvendo uma adolescente. Ele acabou sendo liberado para responder o processo em liberdade, após pagar fiança de R$ 3 mil.

No mesmo local foram apreendidos equipamentos de informática que serão submetidos a exames periciais para localizar mais imagens e filmagens, além de uma pistola calibre 9 mm, munição e outros apetrechos relacionados, que seriam do genro do idoso.

O genro, que tem 53 anos, não se encontrava no imóvel. A arma de propriedade dele, segundo a polícia, tem registro atualizada. Apesar disso, ficará apreendida para investigação.

ZONA OESTE

Em outra região da cidade, os policiais apreenderam pendrives, notebooks e mídias removíveis.

Exame pericial realizado no momento da busca não localizou conteúdo pornográfico. Mas todo o material foi apreendido e encaminhado para exames periciais mais aprofundados, que podem constatar, inclusive, arquivos deletados.

Computadores encontrados em local da zona Oeste; inicialmente perícia não achou imagens, mas mídias serão vasculhadas (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

OPERAÇÃO QUERUBIM II

A ação policial é desenvolvida em toda a área do Departamento de Polícia Judiciária (Deinter 4 – Bauru), que inclui seis seccionais de Polícia.

O foco é a proteção de crianças e adolescentes. A ação está em sua segunda edição por atacar crimes de modus operandi (modo de operação dos criminosos) semelhante aos descobertos em 2019, quando os policiais realizaram prisões em várias cidades da região, incluindo Marília, Tupã e Ourinhos. Na época, até um religioso de Tupã foi preso, acusado de pedofilia.

A ação apontou a existência de esquema que alimenta redes com compartilhamento de material com teor pornográfico envolvendo menores.