Desde 2014, mais de 46000 artigos.
,/2020

Dicas: Fundadora da Ale Idiomas indica seus filmes favoritos

Variedades
22 de abril de 2020

Fundadora da escola Ale Idiomas (Foto: Leonardo Moreno/Marília Notícia)

Na coluna Dicas da Semana desta quarta-feira (22) as sugestões de filmes são da fundadora de uma das mais tradicionais instituições de ensino de Marília, a Ale Idiomas. Alessandra Ferreira Fernandes escolheu longas com fortes mensagens para indicar aos leitores do Marília Notícia.

Entre os ensinamentos que podem ser tirados dos filmes indicados, estão reflexões para a vida pessoal e também para o campo profissional. De modo geral, os premiados filmes sugeridos podem ser caracterizados por serem dramas biográficos – e um deles se encaixa na categoria comédia dramática.

O objetivo da coluna é apresentar um pouco do gosto de marilienses ilustres e os leitores também podem participar, fazendo suas próprias indicações.

A Dicas da Semana tem duas edições semanais, todas as quartas e sextas-feiras. São dicas sobre livros, filmes, séries, cervejas, vinhos, viagens e muito mais. Acompanhe!

À procura da felicidade – De 2006, dirigido por Gabriele Muccino

Um dos filmes que mais amo é “À procura da felicidade”. Já vi 500 vezes esse filme. A mensagem é que a gente nunca pode tirar o sonho de ninguém, a gente não tem esse direito. Isso independe de classe social, dinheiro. E a gente também nunca pode deixar as pessoas dizerem pra gente que não somos capazes de fazer alguma coisa que sonhamos.

O Discurso do Rei – De 2010, dirigido por Tom Hooper

Ganhou quatro Oscars. Conta a história do príncipe George que era gago e enfrentava esse desafio desde criança para falar em público. Mostra a relação do protagonista com uma espécie de fonoaudiólogo da época e o apoio da mulher. A perseverança de George é impressionante e mostra a importância de termos próximo de nós pessoas que nos queiram bem.

Diabo veste Prada – De 2006, dirigido por David Frankel

É um filme que passa várias mensagens para a gente. A garota sonhadora que acabou de sair da faculdade e almejava uma carreira de sucesso. Ela se dá conta da diferença entre o sonho dela e a realidade e percebe que tem que abrir mão de algumas coisas, passar por alguns sacrifícios pessoais, para chegar onde quer. A questão é como nossa essência reage a isso. Outra lição é de que a chefona, Miranda, apesar de meio agressiva e autoritária, fazia a equipe dela ser redondinha. Ela cobrava o resultado e tinha que ser perfeito e assim era.