Desde 2014, mais de 39000 artigos.
,/2019

Celular de tela dobrável da Samsung finalmente começa a ser vendido

Tecnologia
06 de setembro de 2019

É hora do ‘take 2’ para os celulares dobráveis. Depois de muitos problemas no hardware e lançamentos adiados, o Galaxy Fold, smartphone de tela flexível da Samsung, chegou às lojas. A Coreia do Sul, terra natal da fabricante, já recebe o aparelho a partir desta sexta, 6. A partir do dia 18, o Fold chega aos consumidores de Alemanha, França, Reino e Singapura. A fabricante prometeu que ele chegará aos EUA nas próximas semanas – há rumores de que será no dia 27. Não há previsão para o Brasil.

Anunciado em fevereiro, o Fold deveria ter chegado às lojas em abril, mas teve sua estreia adiada depois que apresentou defeitos em suas telas, durante testes com jornalistas e influenciadores. Segundo a imprensa americana, a Samsung fez mudanças importantes na estrutura do aparelho, reforçando a dobradiça e protegendo a camada plástica da tela. Na primeira versão, a fina camada plástica podia ser removida com facilidade, além de permitir a entrada de sujeira sob ela, o que acabava inutilizando o celular.

No resto, o aparelho manteve as especificações apresentadas em seu lançamento: tela de 7,3 polegadas (aberta) e 4,6 polegadas (fechada), processador Snapdragon 855, 12 GB de memória, armazenamento de 512 GB e bateria de 4.380 mAh. Há modelos com e sem compatibilidade com a rede 5G.

Para fotografar em seus diferentes formatos, o Fold tem um conjunto de seis câmeras. O modelo vem com três câmeras na parte de trás, sendo uma delas ultra-wide F2.2 com 16 megapixels (MP), outra wide -angle de 12 MP e F1,5 / F2,4 e um zoom óptico de 12 MP e F2,4. Na parte interna há uma câmera frontal dupla com 10 MP e F2,2 para selfie e outra com profundidade RGB de 8 MP e F1,9. Completa o combo uma câmera externa de 10 MP e F2.2.

Na Coreia, ele custará o equivalente a US$ 1.900. Na Europa, o preço inicial, sem 5G, é de € 2.000. Nos EUA, antes das falhas, o modelo 4G custava US$ 1.980 (não há informações sobre alterações. As encomendas feitas na pré-venda nos EUA foram canceladas, dando crédito de US$ 250 nas lojas da marca.

Com a nova tentativa do Fold, a expectativa da Samsung é que o celular ajude a faturar no final do ano, depois de ter baixas vendas durante o primeiro semestre. O novo aparelho entra também em rota de colisão direta com o iPhone, da Apple, que deve ser lançado na próxima terça – segundo rumores, os novos modelos da empresa de Tim Cook terão câmeras de três lentes.

Para analistas, apesar dos novos testes, a imagem dos celulares dobráveis já está deteriorada. “A confiança do consumidor nesse produto foi abalada. Se a Samsung vender 300 mil dispositivos assim, será uma boa performance, dado o atraso”, disse Kim Young-woo, analista da SK Securities. A empresa informou que tem planos de fabricar ao menos 1 milhão de unidades do Fold este ano. Anualmente, a Samsung tem fabricado cerca de 300 milhões de celulares por ano.

A empresa não deve estar sozinha: a Huawei, atualmente envolvida em dilemas contra o governo americano, também pode lançar em breve o Mate X, seu celular dobrável. Previsto inicialmente para junho, o aparelho teve lançamento adiado depois que o Google retirou suporte ao Android da fabricante chinesa. Nessa semana, o presidente da Huawei, Richard Wu, foi visto em um aeroporto usando o dispositivo – o executivo, porém, não quis falar sobre o assunto.