Desde 2014, mais de 41000 artigos.
,/2019

Câmara aprova em definitivo privatização do Daem

Cidade
26 de outubro de 2015
DSC06705a

Base aliada do prefeito rejeitou todas as emendas (Foto: Gabriel Tedde)

Os 10 vereadores aliados ao prefeito Vinicius Camarinha (PSB) não deram ouvidos para a sociedade civil e vereadores de oposição hoje (26) na Câmara Municipal.

Como já era esperado, o projeto que privatiza o Daem (Departamento de Água e Esgoto de Marília) foi aprovado por 10 votos a favor e somente 3 contra. Heval Rosa Seabra (PSB), Marcos Rezende (PSD), Samuel da Farmácia (PR), Silvio Harada (PR), Luiz Eduardo Nardi (PR), José Bassiga (PHS), José Menezes (PSL), Marcos Custódio (PSC), Sônia Tonin (PSC) e Capacete (PDT) votaram sim para a privatização.

A base aliada também rejeitou todas as emendas propostas por Wilson Damasceno (PSDB), Cícero do Ceasa (PT) e Mario Coraíni (PTB), que votaram contra o projeto.

As emendas foram feitas para ‘amenizar’ os efeitos da privatização. Entre elas estavam o pedido de redução da concessão de 35 para 20 anos e diversos dispositivos que, em tese, protegeriam a população do ‘tarifaço’ e obrigariam a empresa a realizar os investimentos considerados mais urgentes. Nada disso foi aprovado pelos mesmos 10 vereadores.

DSC06714a

Apesar da Câmara não permitir entrada de manifestantes, galerias tinham espaço (Foto: Gabriel Tedde)

Grupo chega cedo para evitar manifestações na Câmara

Moradores do Marina Moretti, bairro de periferia localizado na zona norte de Marília, que supostamente defendem a privatização do Daem (Departamento de Água e Esgoto de Marília), ficaram plantados na porta da Câmara Municipal desde o início da tarde desta segunda-feira (26), bem antes do começo da sessão ordinária.

Homens e mulheres aguardaram a abertura da casa para lotarem as galerias do plenário e impedir manifestações de parte da população que é contrária à privatização da autarquia.

O acesso à Câmara foi fechado pela Polícia Militar e a porta principal foi simplesmente trancada. Nos bastidores da Câmara foi grande a especulação de que os moradores do Marina Moretti teriam recebido dinheiro para comparecer no local e ‘implodir’ as manifestações. Apesar dos comentários, nada foi comprovado.

Apesar de irem até o local, boa parte das pessoas não assistiu a sessão, ficando do lado de fora das galerias, nos corredores da Câmara. A reportagem do Marília Notícia flagrou uma das pessoas do grupo que veio da zona norte, reclamando da demora no debate: “Quero ir embora logo, nem um lanche deram pra gente”, disse uma mulher, que foi repreendida por outra do grupo ao perceber a presença da equipe do MN.

Ao tentar entrevistar os presentes, a reportagem foi ignorada por todos, que alegavam que não tinham nada para falar.

ArHgOHvJv-1GagN6G_h1GY7ui_Wx2rIEPvfDMCz8sXRM

Moradores do Marina Moretti e cabos eleitorais de vereadores aliados formam fila para entrar na Câmara (Foto: Fabio Conti / Marília Agora)