Desde 2014, mais de 31000 artigos.
,/2018

Prevenções e tratamento da uroginecologia na fisioterapia

Coluna
28 de setembro de 2018

 

Cuidar da função pélvica pode resolver muitos problemas (Foto: Divulgação)

Você Já ouviu falar em fisioterapia uroginecológica? Talvez não né?

Essa sub-especialidade cuida da função pélvica, ou seja, trata os problemas urinários baixos, da bexiga e da uretra, sem esquecer de sua íntima relação com os outros órgãos pélvicos como, vagina, útero, reto e região perineal.

O objetivo é a prevenção e reabilitação de problemas relacionados a essa região do corpo humano.

O que pode ser tratado?

  • Incontinência urinária ou perda urinária
  • Incontinência fecal
  • Disfunção erétil nos homens
  • Incontinência de flatos (o popular ‘pum’)
  • Prolapso genital (bexiga caída)
  • Bexiga hiperativa
  • Alterações anatômicas do trato urinário feminino
  • Infecções urinárias de repetição
  • Fortalecimento de musculatura pré e pós parto
  • Dispaurenia (Dor pélvica e dor durante a relação sexual relacionada à bexiga e aos músculos do assoalho pélvico/ períneo)
  • Dor vulvar e vaginal – vulvodínea

Como tratar?

São realizados exercícios específicos para cada problema, no qual uma avaliação é realizada com testes e aparelhos eletroestimuladores para apontar tanto a situação da patologia como a evolução do tratamento.

Disfunção sexual

Até pelo nome, é normal que as pessoas pensem que a especialidade trate exclusivamente mulheres. Um problema recorrente, que observo no dia a dia, é o da disfunção sexual, problema que tira o sono de muitos homens.

A Disfunção Sexual é comum, acometendo homens e mulheres. No gênero masculino o índice varia entre 20 e 30% da população mundial. Calcula-se que a disfunção erétil se faz presente em mais de 50% dos homens com idade entre 40 e 70 anos, podendo atingir a população maior de 18 anos em 45% dos casos.

Impotência, ejaculação precoce e até mesmo dores na relação (aqui as mulheres entram também) podem ser tratadas com técnicas da fisioterapia.

Em alguns casos em que a disfunção sexual não seja por problemas psicológicos, a fisioterapia uroginecológica entra como opção para o tratamento do problema.

Existem inúmeros fatores que podem levar a disfunção sexual e a fisioterapia bem aplicada e feita por uma profissional capacitada, leva o paciente a ter resultados satisfatórios e melhoras significativas.

Com uma adequada avaliação, o fisioterapeuta utiliza de técnicas como eletroterapia, recursos terapêuticos manuais e cinesioterapia – com exercícios para fortalecimento muscular, e/ou propriocepção, do assoalho pélvico (associada ou não a técnicas respiratórias).

Como encontrar um profissional

Assim como qualquer profissional, ele ou ela deve ser bastante capacitada e especializada. Antes de realizar a primeira consulta, procure por recomendações de pessoas próximas e de sites de confiança. Busque também pelo registro no Conselho Regional de Fisioterapia (CREFITO), que confirma as credenciais do profissional.

Procurar um fisioterapeuta na hora certa pode ser decisivo para a recuperação ou para se obter mais qualidade de vida.

***

Ana Carolina de Oliveira Gigek (Crefito 146787) é fisioterapeuta pós-graduada em Fisioterapia Hospitalar Geral Hospital Israelita Albert Einstein SP; pós-graduada em Cardiorrespiratório pela Unimar (Universidade de Marília-SP). Realiza atendimento clínico e home care. Especialidades: RPG; Uroginecologia; Neurologia (infantil e adulto); ATM; Distúrbios Vestibulares; Cardiorrespiratório
(infantil e adulto). Telefones: 3454-9003 e 99787-8266.