Desde 2014, mais de 50000 artigos.
,/2020

Opinião | Camarinha é mistura do mal com o atraso

Coluna
20 de abril de 2020

“Você é uma pessoa horrível, uma mistura do mal com o atraso e pitadas de psicopatia”. A célebre frase de Luis Roberto Barroso para Gilmar Mendes, em uma discussão entre os ministros no Supremo Tribunal Federal, poderia muito bem ser dirigida a Abelardo Camarinha após qualquer um de seus discursos.

O ex-deputado, que fez uma transmissão ao vivo na noite da última sexta-feira (17) em sua página nas redes sociais, mais uma vez mostrou o que há de pior e mais caduco na política brasileira. Um discurso mentiroso, hipócrita e populista, para ficar apenas em três adjetivos.

De maneira obscena, Camarinha citou por dezenas de vezes informações completamente ou parcialmente falsas. A fala insciente do velho político chega a embrulhar o estômago daqueles com um mínimo de senso crítico e que almejam uma vida melhor para Marília.

Não que a cidade esteja uma beleza, como diz o outro, muito pelo contrário. A administração atual é realmente decepcionante em diversas frentes e a culpo por tornar o absurdo em algo teoricamente aceitável, como Abelardo surgindo de herói do condado.

Um político que carrega centenas de processos pelas mais variadas práticas irregulares no âmbito público. Que deixou inúmeros trabalhadores sem receber quando a Polícia Federal fechou o jornal Diário. Que atrasou a vida de milhares de marilienses durante décadas com seus desmandos. Que vive explorando a ignorância de uns e a ganância de outros.

Entre os diversos absurdos que proferiu, Abelardo cobrou que o prefeito Daniel tenha coragem e enfrente Doria para a reabertura do comércio – o que particularmente concordo. Mas porque este senhor não demanda de seu filho, o deputado estadual Vinicius, a mesma postura? Na verdade, sabemos o motivo da crítica seletiva, não é mesmo? Isso tem nome e sobrenome. Política suja.

Está duvidando do que eu falo? Veja a live de Abelardo na íntegra, faça suas pesquisas e tire suas próprias conclusões.

E que ele não venha reclamar desse texto. Que não venha inventar mais mentiras sobre a honra das pessoas. “Se o homem faz de si mesmo um verme, ele não deve se queixar quando é pisado”, dizia Kant.

O grande irmão Camarinha, numa referência literária, não é seu amigo. Ele te disciplina mentalmente, ele te usurpa e ele te mata no abraço. Não seremos como Winston de 1984, não morreremos felizes.

Camarinha é gente boa? É lutador? Tenho certeza que não. Vale a pena dar crédito?

***

Gabriel Tedde é editor do Marília Notícia