Desde 2014, mais de 50000 artigos.
,/2020

Adoçante também vicia? Eles são melhores, mas saiba quais usar

Coluna
24 de setembro de 2020

Dr. Ricardo Carvalho explica, com base em estudos, as diferenças entre adoçantes calóricos e não calóricos (Foto: Divulgação)

Por que devemos usar o adoçante? Por que o açúcar é viciante e por que ele faz mal? A resposta é: porque ele é gostoso, e não satisfaz o prazer.

Então ele é gostoso, gera prazer, mas nunca gera satisfação. Você sempre quer mais, mais, mais… e esse efeito viciante, devido a geração de prazer, cria um comportamento compulsivo. Portanto, esse é o problema.

O açúcar não sacia. E essa é sua desvantagem.

É por isso que você nunca vai encontrar uma pessoa compulsiva por churrasco (apesar de que alguns até o são né?). Diferente do açúcar, o churrasco gera saciedade, satisfação.

O adoçante gera prazer e satisfação. Quando você troca o açúcar pelo adoçante, o que deseja, na verdade, é manter o prazer… o prazer doce, sem o efeito viciante do açúcar.

Existem dois tipos principais de adoçantes. Os calóricos e os não calóricos.

Diferenças nos adoçantes

Entre os primeiros, temos o xilitol (sem sabor residual), o sorbitol, a frutose e o açúcar de coco.

Entre os não calóricos, podemos citar a estévia (tem muito sabor residual, então acaba não gerando muito prazer), a sucralose (sem sabor residual), a sacarina e o acesulfame K.

Vamos falar especialmente do xilitol (calórico) e da sucralose (não calórico).

Xilitol

Os dois são adocicados, então são capazes de gerar prazer, o que é muito bom. Acontece que o xilitol, além de gerar prazer, estimula uma área no cérebro, chamada área lateral do hipotálamo (tudo que é capaz de estimular essa área gera compulsão, “fissura”).

Então, apesar de ter menos caloria que o açúcar, ele continua mantendo o efeito viciante. É bem provável que você terá dificuldade em acabar com sua compulsão por doces, se você trocar o açúcar por xilitol. Esse adoçante manterá o efeito viciante.

Além disso, pesquisas em ratos mostram que quando essa área é estimulada (HLA), ocorre redução da queima de gordura. Portanto, o xilitol poderia predispor o consumidor a um metabolismo mais lento.

Sucralose

Já a sucralose é um adoçante não calórico. Ela estimula as áreas do prazer, mas não estimula a área lateral do hipotálamo. Por isso, não gera efeito viciante e nem desacelera seu metabolismo.

É o que as pesquisas sugerem: Adoçantes não calóricos são melhores, por não gerarem comportamento viciante e diminuição do metabolismo, algo que o açúcar e os adoçantes calóricos fazem.

Por isso, quando for substituir o açúcar, opte por adoçantes não calóricos, como por exemplo, a sucralose.

É o que existe hoje de melhor, em relação a custo X benefício. E de melhor risco x benefício também. Algumas pessoas vão dizer: mas o xilitol é natural e é melhor. Pessoal, açúcar também é natural. Ser natural não quer dizer que é saudável.

Qual o ideal?

O ideal é chegarmos ao ponto em que não teremos mais necessidade do uso do adoçante, e que o próprio açúcar da fruta seja o suficiente para te satisfazer.

E é bem provável que ao tirar o açúcar, e usar sucralose, você consiga, lentamente, chegar nesse ponto. Por isso eu recomendo esse tipo de adoçante.

Uma pesquisa recente, que testa esse efeito (viciante) em ratos, apontou que esses adoçantes calóricos permitem que as indústrias façam alimentos que tem potencial viciante.

Isso faria você comer mais, diminuir seu metabolismo e, portanto, facilitaria que você engorde. A indústria tem produzido alimentos chamados “light”, “low-carb” para enganar as pessoas.

Portanto, fique atento. Esse tipo de adoçante, apesar de natural, não tem as vantagens que os adoçantes “não calóricos” tem!

***

Dr. Ricardo Carvalho é médico (CRM SP 184612)