Desde 2014, mais de 59000 artigos.
,/2021

A graça de Deus (Parte 1)

Coluna
04 de junho de 2021

Efésios 2.1-10 NVI

“Vocês estavam mortos em suas transgressões e pecados, nos quais costumavam viver, quando seguiam a presente ordem deste mundo e o príncipe do poder do ar, o espírito que agora está atuando nos que vivem na desobediência. Anteriormente, todos nós também vivíamos entre eles, satisfazendo as vontades da nossa carne, seguindo os seus desejos e pensamentos. Como os outros, éramos por natureza merecedores da ira. Todavia, Deus, que é rico em misericórdia, pelo grande amor com que nos amou, deu-nos vida com Cristo quando ainda estávamos mortos em transgressões, pela graça vocês são salvos. Deus nos ressuscitou com Cristo e com ele nos fez assentar nas regiões celestiais em Cristo Jesus, para mostrar, nas eras que hão de vir, a incomparável riqueza de sua graça, demonstrada em sua bondade para conosco em Cristo Jesus. Pois vocês são salvos pela graça, por meio da fé, e isto não vem de vocês, é dom de Deus; não por obras, para que ninguém se glorie. Porque somos criação de Deus realizada em Cristo Jesus para fazermos boas obras, as quais Deus preparou antes para nós as praticarmos.”

A graça de Deus revelada em Cristo Jesus é o fundamento da nossa eterna salvação; nós somos salvos pela graça mediante a fé em Cristo Jesus nosso Senhor e salvador.

Misericórdia é Deus não nos dar o que nós merecemos, o castigo merecido que Deus não nos deu e essa é a razão de não sermos consumidos; graça é Deus nos dando de presente o que nós não merecemos, é Ele nos dando o seu perdão, vida plena e eterna salvação de graça, pela fé em Jesus Cristo.

Um dos maiores problemas dos pregadores da super-graça ou hiper-graça, é que eles pregam a graça sem a doutrina do arrependimento, sem confissão dos pecados e pedido de perdão, sem a experiência do novo nascimento, sem mudança de vida, sem compromisso com a santificação.

A graça requer arrependimento sincero e honesto dos pecados cometidos. A graça é responsável, e ela tem o preço do sangue de Jesus que foi derramado na cruz do calvário em nosso lugar.

O padrão da graça estabelecido por Jesus Cristo no sermão da montanha, é infinitamente superior a todos princípios e mandamentos da lei de Moisés.

Deus é eterno, a graça é um dos atributos comunicáveis Deus, portanto, a graça é eterna.

1 – A graça de Deus se manifestou desde o princípio.

Pela sua eterna graça o Deus trino nos criou à sua imagem e semelhança (Gênesis 1:26-27 NVI).

Pela graça o Senhor Deus nos abençoou (Gênesis 1:28 NVI).

Ao criar o homem, o Senhor Deus soprou para dentro de nós o seu fôlego de vida, isso é graça.

“Então o Senhor Deus formou o homem do pó da terra e soprou em suas narinas o fôlego de vida, e o homem se tornou um ser vivente” (Gênesis 2:7 NVI).

Jesus, ao começar a igreja, fez o mesmo.  “E, havendo dito isso, soprou sobre eles e disse-lhes:  Recebam o Espírito Santo” (João 20:22).

Pela sua graça Deus colocou o homem em um lugar lindíssimo, maravilhoso, privilegiado, o paraíso, o Jardim do Éden (Gênesis 2:8-9 NVT).

A vontade de Deus era que o homem andasse e obediência e desfrutasse de plena comunhão com Ele diariamente. Antes da queda, o Senhor vinha ao encontro do homem diariamente na viração do dia (Gênesis 3.8).

Se o homem tivesse comido do fruto da árvore da vida antes da queda, nós viveríamos na terra eternamente sem pecado, e, esse era o plano original de Deus. Quando vencermos o pecado, o mundo, a carne e o diabo,  quando chegarmos na glória, nós comeremos da árvore da Vida que está no Paraíso de Deus (Apocalipse 2:7).

O Senhor Deus advertiu ao homem que se ele desobedecesse e comece do fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal, ele morreria (Gênesis 2:15-17 NVT). Nós fomos criados com livre-arbítrio; Deus nos criou e nos deu a capacidade de tomar decisões e fazer nossas escolhas (Deuteronômio 30:19 NVI). Adão e Eva, deliberadamente, escolheram o caminho da desobediência e da rebelião contra Deus (Gênesis 3:4-6 NVI).

O pecado fez o primeiro casal perceber a sua nudez não somente física, mas espiritual; o pecado continua causando os mesmos sentimentos (Gênesis 3:7). No mesmo dia da queda o Senhor Deus pela sua infinita graça, amor e misericórdia veio ao encontro do homem (Gênesis 3:8-9 NVI).

O pecado de Adão e Eva, trouxe a morte para toda a humanidade.

“Portanto, da mesma forma como o pecado entrou no mundo por um homem, e pelo pecado a morte, assim também a morte veio a todos os homens, porque todos pecaram” (Romanos 5:12 NVI).

“Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor” (Romanos 6:23).

No dia da queda do homem, pela sua infinita graça e amor, Deus o Pai anunciou a vinda do seu Filho Jesus Cristo como salvador da humanidade (Gênesis 3:15 NVT).

“Mas, quando chegou a plenitude do tempo, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido debaixo da Lei, a fim de redimir os que estavam sob a Lei, para que recebêssemos a adoção de filhos” (Gálatas 4:4-5).

Naquele dia da queda do homem, o dia mais terrível da história da humanidade, o Senhor Deus deu uma excelente notícia, a promessa da vinda do nosso Senhor e salvador Jesus Cristo.

Na cruz o Senhor Jesus cumpriu essa promessa de Deus o Pai, ele pisou na cabeça da antiga serpente, que chama o diabo e satanás.

“E, despojando os principados e as potestades, publicamente os expôs ao desprezo, triunfando sobre eles na cruz” (Colossenses 2:15).

Vemos também a manifestação da misericórdia e da graça de Deus colocando querubins para proteger o caminho da árvore da Vida, porque se o homem comesse da árvore da vida em pecado, não teria mais solução (Gênesis 3:23-24 NVI).

Pela sua graça, Deus realizou um ato profético, matando alguns cordeiros para com a pele fazer vestes cobrir a nudez de Adão e Eva (Gênesis 3:21 NVT).

Nesse dia, com o sacrifício dos cordeiros, começou o fio de escarlata que apontava para o sangue de Jesus Cristo, que foi derramado na cruz do calvário para a nossa justificação e eterna salvação.

Jesus é o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo.

“No dia seguinte, vendo que Jesus vinha em sua direção, João disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!” (João 1:29).

O sangue de Jesus derramado na cruz do calvário nos purifica de todo pecado.

“Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado” (1 João 1.7).

“E entoavam novo cântico, dizendo: digno és de tomar o livro e de abrir-lhe os selos, porque foste morto e com o teu sangue compraste para Deus os que procedem de toda tribo, língua, povo e nação e para o nosso Deus os constituíste reino e sacerdotes; e reinarão sobre a terra” (Apocalipse 5.9,10).

Ninguém jamais foi ou será salvo sem Jesus; no passado as pessoas tinham que olhar para frente, para o futuro e pela fé declarar: “o Salvador virá!” Então, eles eram salvos pela fé na promessa da vinda do Salvador – Jesus; nós olhamos para trás e declaramos: “o Salvador veio e morreu na cruz em nosso lugar!” Assim nós somos salvos pela graça de Deus mediante a fé em Cristo Jesus. Nós também temos que olhar para a frente e declarar: “Jesus, o Cordeiro de Deus voltará em breve!” E, essa é a razão da nossa esperança, porque habitaremos com ele para sempre na casa do Pai celeste.

Há esperança de salvação e vida eterna pela graça do Senhor Jesus Cristo. A graça de Deus é suficiente, a graça nos basta, ela é tudo o que precisamos.

“Mas ele me disse: “minha graça é suficiente a você, pois o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza.” Portanto, eu me gloriarei ainda mais alegremente em minhas fraquezas, para que o poder de Cristo repouse em mim” (2 Coríntios 12:9 NVI).

A graça de Deus em Cristo Jesus salva, liberta, cura, restaura e te faz viver uma vida abundante, plena em todos os sentidos. A graça de Deus é tudo o que você precisa para ser uma pessoa segundo o coração de Deus.

Aleluia! Amém!